É TEMPO DE SOL

O verão marca a temporada de férias e atividades ao ar livre. Mas, embora o momento seja de descanso e pés para cima, os cuidados com a saúde não podem ser deixados de lado. É preciso estar atento para o tempo de exposição aos raios solares, principais causadores de câncer de pele.

Esse é o tipo de câncer com maior incidência no mundo e, no Brasil, corresponde a cerca de 30% das neoplasias malignas. Os dados são da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), que, desde 2014, promove a campanha Dezembro Laranja, no início do verão, para alertar sobre como se proteger.

O dermatologista Dr. Luiz Guilherme Martins Castro, vice-presidente da International Society of Dermatology e médico do Centro Especializado em Oncologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, afirma que campanhas como as do Dezembro Laranja têm tido papel relevante na conscientização da população. Esse trabalho é extremamente necessário, pois mais de 60% dos brasileiros não usam nenhum tipo de proteção solar no dia a dia, também segundo a SBD. Reunimos a seguir tudo o que você precisa saber sobre o câncer de pele e como preveni-lo.

OS TIPOS DE CÂNCER DE PELE

O câncer de pele pode ser dividido em três tipos: o carcinoma basocelular, o menos grave e o mais frequente, surge em mais de 95% dos casos. É identificado após o aparecimento de manchas rosadas na pele. O carcinoma espinocelular, segundo tipo mais comum de câncer de pele e mais frequente entre os homens. Tem a forma de um nó, que cresce rápido e forma uma espécie de casquinha na pele. O melanoma maligno, o mais perigoso e caracterizado pelo aparecimento de uma pinta escura. Pode ser fatal, caso não seja identificado precocemente. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), cerca de 180 mil novos casos dos tipos não melanoma surgem todos os anos no país.

MELANOMAS E A EXPOSIÇÃO AO SOL

Embora o aparecimento de câncer de pele de modo geral tenha relação direta com alta exposição ao sol sem proteção, o melanoma (o mais perigoso), em muitos casos, pode estar ligado a mutações genéticas. Entre os principais fatores de risco para esse tumor estão pele e olhos claros, cabelos ruivos ou loiros, grande número de pintas e histórico familiar.

TRATAMENTO É QUASE SEMPRE CIRÚRGICO

Independentemente do tipo de câncer de pele que surgir, o tratamento, geralmente, é feito por meio de cirurgia, retirando-se as manchas. Há também outros métodos, como radioterapia, quimioterapia em forma de pomada e terapia fotodinâmica. A forma de tratar a doença é indicada pelo médico especialista, que vai considerar a espécie do tumor e o tamanho, por exemplo.

TOMAR SOL APENAS COM PROTEÇÃO

A melhor forma de se prevenir contra o câncer de pele é evitar a exposição sem proteção. “Quando se fala da proteção, deve-se pensar além do filtro solar. Ele é uma das estratégias. Mas é importante que a população tenha um comportamento antissolar. Evitar os horários com maior incidência de raios ultravioletas (UV), entre 10h e 16h. Usar chapéus, bonés, protetores labiais e camisetas com proteção UV também ajuda muito”, explica o médico dermatologista do Centro Especializado em Oncologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Dr. Luiz Guilherme Martins Castro.

QUAL É O GRAU DE DEFESA DO PROTETOR SOLAR?

Segundo o dermatologista do Centro Especializado em Oncologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, o protetor solar fator 30 protege contra 96% dos raios ultravioletas. Já um protetor fator 60 consegue bloquear 97% dos raios. “Do ponto de vista prático, a proteção é um pouco maior. O ideal, como falamos, é ter uma atitude antissolar.”

PENSAMENTO
A LONGO PRAZO

Quando se fala em prevenção, outra medida destacada pelo Dr. Luiz Guilherme Martins Castro é adotar um pensamento de longo prazo. “As pessoas costumam passar o protetor solar somente quando vão a praias ou piscinas e não fazem isso no dia a dia. Os minutinhos de exposição ao sol sem proteção vão se somando ao longo da vida. Lá na frente, em uma idade mais avançada, a doença pode aparecer”, destaca.

BRONZEAMENTO ARTIFICIAL É CONTRAINDICADO

Muita gente gosta de garantir um bronzeado o ano todo, mesmo nas estações mais frias, como outono e inverno. Para isso, costumam recorrer ao bronzeamento artificial. A prática, de acordo com o Dr. Luiz Guilherme, é desaconselhável e traz grandes riscos à saúde, aumentando as chances de câncer de pele. “Não existe nenhuma indicação para o bronzeamento artificial. A Sociedade Brasileira de Dermatologia tem tomado medidas para coibir esse tipo de tratamento estético”, afirma o especialista.

SOBRE O CENTRO ESPECIALIZADO EM ONCOLOGIA DO HOSPITAL ALEMÃO OSWALDO CRUZ

O Centro Especializado em Oncologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz conta com um grupo multidisciplinar, com oncologistas, dermatologistas e cirurgiões plásticos, além de um time especializado em reabilitação e medicina integrativa.

“Quando se fala da proteção, deve-se pensar além do filtro solar. Ele é uma das estratégias”

Luiz Guilherme Martins Castro, vice-presidente da International Society of Dermatology e dermatologista do Centro Especializado em Oncologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

Veja Também

Leve Com Você
SOBRE VOCÊ

Você tem várias formas de agendar consultas e exames:

Envie uma mensagem para:

WhatsApp

Agende sua consulta ou exame:

Agende online
QR Code Agende sua consulta ou exame

Agende pelo app meu oswaldo cruz

App Meu Oswaldo Cruz disponível no Google Play App Meu Oswaldo Cruz disponível na App Store