NOSSO AMIGO, O INTESTINO

Responsável pela absorção dos nutrientes e pela manutenção da boa saúde, o intestino produz mais de 30 tipos de hormônios com funções benéficas ao organismo. Conheça algumas curiosidades a respeito desse órgão tão importante para o corpo humano

O INTESTINO COMO UM SISTEMA

O funcionamento do intestino começa pela boca: a mastigação é fundamental, porque, quanto menor o tamanho das partículas, maior a superfície de contato com as enzimas digestivas. Depois vem o esôfago, que conduz o alimento até o estômago, onde começa a ser processado por enzimas como a pepsina, que ajuda na digestão das proteínas. Aí chega ao duodeno, início do intestino delgado, onde o alimento é transformado em partículas ainda menores, para serem digeridas de fato pelo organismo. Para isso são necessários órgãos acessórios ao intestino, como o estômago e o pâncreas. Aí vem o jejuno, o íleo e, finalmente, o intestino grosso, cujas funções são absorver água, formar e eliminar o bolo fecal.

Você pode não saber o que é a microbiota intestinal, mas ela é fundamental para sua saúde. De acordo com o Dr. Ricardo Barbuti, gastroenterologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, o intestino humano é colonizado por uma quantidade enorme de microrganismos, entre bactérias, fungos e vírus. Esse curioso sistema é responsável pela manutenção da saúde do órgão, e sua alteração pode estar relacionada a uma série de doenças intestinais e extra intestinais.

“A microbiota intestinal é responsável pelo controle do sistema imunológico, do sistema respiratório, e até mesmo das funções cognitivas”, afirma o especialista. Através do eixo cérebro-intestinal, segundo o Dr. Ricardo Barbuti, tudo o que acontece dentro do órgão dos alimentos ingeridos ao desenvolvimento de doenças é percebido por espécies de “scanners” localizados na própria parede intestinal, que se comunicam diretamente com o sistema nervoso central. Dessa maneira, o cérebro pode filtrar, modular e mandar respostas que podem alterar não só o funcionamento das funções intestinais, mas também do sistema imunológico como um todo. Da mesma forma, alguns probióticos (as chamadas “bactérias do bem”) provenientes da microbiota intestinal podem ser utilizados no tratamento de doenças mentais, como depressão, ansiedade, esquizofrenia, e até mesmo autismo.

Para cuidar da saúde do intestino, segundo o Dr. Barbuti, é fundamental manter uma dieta equilibrada, à base de alimentos fibrosos e muita água, além de atividade física e uma frequência de evacuação que respeite a sua vontade. Confira, a seguir, algumas curiosidades a respeito desse órgão vital para nossa saúde.

CORPO OU CABEÇA?

Será que os problemas de constipação estão mais ligados ao corpo ou à cabeça? “Tudo é conectado”, garante o médico. Para o bom funcionamento do intestino, é essencial não reprimir o reflexo evacuatório. Se, sempre que sentir vontade de ir ao banheiro, a pessoa não for, vai condicionando o intestino a não funcionar. Isso é muito comum, especialmente em mulheres – muitas, por exemplo, não conseguem evacuar em banheiros fora de sua própria casa. Em crianças, a estatística se inverte: há mais meninos constipados do que meninas.

O NÚMERO MÁGICO

Para o Dr. Ricardo, não existe um número ideal de evacuações diárias. De acordo com ele, estudos específicos falam em três evacuações por dia, mas há casos em que até uma evacuação semanal pode ser ideal – caso a pessoa se sinta bem assim. A evacuação não deve ser demorada nem dolorida – sintomas de problemas. Da mesma forma, uma pessoa que evacua todos os dias e até mais de uma vez por dia, e o procedimento costuma ser doloroso, com as fezes endurecidas, é um paciente que deve ser considerado constipado.

É PRECISO TER FIBRA

A melhor dieta para um intestino saudável é equilibrada: com carne, verduras, legumes, frutas e hidratação adequada. Entre os alimentos, as fibras são os mais importantes, por serem responsáveis pela formação do bolo fecal, principalmente as chamadas “insolúveis”, que formam o bolo e estimulam o funcionamento do intestino grosso, além de serem alimentos para as bactérias do intestino, que, assim, conseguem produzir substâncias benéficas para a função intestinal.

ALIMENTAÇÃO X DOENÇAS

O Dr. Barbuti explica que não existe uma relação direta entre o ritmo do funcionamento intestinal e o eventual surgimento de doenças. Da mesma forma, uma pessoa que evacua uma vez por semana não tem mais chances de contrair um câncer, estatisticamente, do que quem evacua diariamente. O segredo, segundo o médico, está na qualidade dos nutrientes ingeridos. Mantendo uma dieta adequada, é possível garantir o equilíbrio da microbiota intestinal, essencial para a manutenção da saúde e também para evitar doenças intestinais e extraintestinais.

FORÇANDO A BARRA

Há muita desinformação em relação aos laxativos, mas eles não são prejudiciais. Existem vários tipos: as fibras, os laxantes osmóticos, que atraem água para o intestino e diminuem a consistência fecal, garantindo uma evacuação mais tranquila, os estimulantes, que atuam na contração da musculatura intestinal, os pró-cinéticos, também estimulantes, e, ainda, os laxantes secretagogo, que estimulam a secreção de água por ação direta na parede intestinal. O problema, segundo o especialista, são os laxantes irritativos, que estimulam bastante a função intestinal e podem passar um quadro de constipação para um quadro de diarreia ou de cólicas intensas.

Leve Com Você
SOBRE VOCÊ

Você tem várias formas de agendar consultas e exames:

Envie uma mensagem para:

WhatsApp

Agende sua consulta ou exame:

Agende online
QR Code Agende sua consulta ou exame

Agende pelo app meu oswaldo cruz

App Meu Oswaldo Cruz disponível no Google Play App Meu Oswaldo Cruz disponível na App Store