Homem toma 12 latas de energético e tem pancreatite aguda; qual relação?

O excesso de consumo de energético pode trazer diversos riscos à saúde , como arritmias (aumento desordenado da frequência cardíaca) e picos hipertensivos.

Mas a ingestão de bebida parece trazer consequências graves para outras partes do corpo.

O médico e youtuber norte-americano Bernard Hsu, que compartilha casos atendidos por ele ou colegas de profissão, contou a história de um homem que bebeu 12 latas de energético em 10 minutos e quase morreu

Como consequência, o youtuber desenvolveu uma pancreatite aguda, uma inflamação que acomete o pâncreas, um órgão do trato digestório, que fica atrás do estômago, próximo das alças intestinais. Ele é responsável pela produção de vários hormônios como insulina e pancreatina, e enzimas que digerem a comida.

O paciente, identificado apenas como “JS”, era um jogador de video games de 36 anos. Ele foi internado após sentir fortes dores abdominais e chegar vomitando ao pronto-socorro, quando foi diagnosticado com a doença.

Mas qual a relação entre o energético e o pâncreas? De acordo com Maira Marzinotto, gastroenterologista do Centro Especializado em Aparelho Digestivo do Hospital Alemão Oswaldo Cruz (SP), ainda não há tantos estudos na literatura médica que relacionem consumo de energético com pancreatite aguda, como ocorreu com o paciente.

Marzinotto explica que, quando há relatos de casos sobre o assunto, geralmente, há consumo excessivo da bebida. “O que a gente acredita é que, com os energéticos cada vez mais aprimorados, com novos estimulantes, essas substâncias possam deflagrar o processo de pancreatite, assim como alguns medicamentos e como o próprio álcool já faz”, afirma.

As causas mais comuns da doença envolvem pedra na vesícula, excesso de álcool, hipertrigliceridemia, comum em pacientes com obesidade , que têm colesterol alto, causas autoimunes ou hereditárias.

“Algumas dessas substâncias — é difícil dizer ao certo qual delas, pois há muitas—, como aminoácidos e cafeína, podem predispor o processo de pancreatite, mas normalmente quando o consumo ocorre em excesso”, diz. “Do que temos de relatos de caso, não há nada falando de pessoas que consomem quantidades pequenas ou moderadas da bebida.”

Os sintomas da pancreatite aguda e o que fazer Entre os sinais mais frequentes estão: náusea, vômito, forte dor abdominal (principalmente na parte superior) que, às vezes, alcança as costas. A gastroenterologista explica ainda que a doença é considerada uma emergência e que é fundamental procurar um atendimento médico.

“Se o diagnóstico é confirmado, normalmente, conduzimos o paciente para internação”, diz. O tratamento envolve suporte clínico, com soro na veia e medicamentos para dor. “É mais esperar o organismo resolver”, afirma a médica.

Por fim, Marzinotto reforça a importância de evitar os excessos com a bebida. “O consumo de energético está aumentando e, possivelmente, veremos mais casos como esse. As pessoas devem ter parcimônia. Não pode sair bebendo assim. Elas devem ter o mesmo cuidado que já é feito com o álcool e gordura, por exemplo.”

Data: 21/11/2022
Fonte: UOL Notícias