Intestino preso: descubra como evitar

Entenda as principais causas da constipação e descubra formas de prevenção e tratamento para melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

Você já imaginou como seria desconfortável passar dias sem conseguir evacuar? Infelizmente, essa é uma realidade de uma parcela significativa da população brasileira que sofre com a constipação.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBCP), entre 20% e 30% dos brasileiros já enfrentaram esse problema em algum momento da vida. Por isso, é fundamental que os profissionais de saúde estejam bem-informados sobre o tema, para orientar e tratar os pacientes adequadamente.

Mas o que é a constipação? Imagine uma estrada bloqueada, sem movimento de carros, engarrafamento total. É assim que muitas pessoas se sentem quando enfrentam essa condição intestinal que causa dificuldade para evacuar ou a sensação de evacuação incompleta ou infrequente.

A patologia pode ter origem por diversos fatores. “As mais comuns são a alimentação com baixa ingestão de líquidos e fibras, medicamentos que reduzem o trânsito intestinal, Síndrome do Intestino Irritável (SII), defecação desordenada e abuso de laxantes. Já as causas menos comuns envolvem problemas médicos específicos, como obstrução intestinal, distúrbios metabólicos e neurológicos. Em alguns casos, a causa da constipação é desconhecida”, diz a médica gastroenterologista do Grupo Fleury, Dra. Virginia Maria Figueiredo.

Alguns grupos são mais propensos a sofrer com essa condição. “Estudos mostram que mulheres e pessoas com dificuldade de locomoção devido a doenças ou sequelas neurológicas são mais comumente afetadas.

Além disso, crianças em idade escolar apresentam uma incidência de até 25%, enquanto em idosos, a porcentagem é ainda maior, chegando a 30-40%”, aponta o médico cirurgião geral e coloproctologista do Santa Marcelina Saúde, Dr. Isaac José Felippe Corrêa Neto.

Caminhos para o alívio A prevenção da constipação inclui medidas como evitar medicamentos que possam contribuir para o problema, como analgésicos opioides e aqueles que contenham cálcio, de acordo com o médico do Santa Marcelina Saúde.

Além disso, o gastroenterologista no Hospital Dia Campo Limpo, gerenciado pelo CEJAM – Centro de Estudos e Pesquisa “João Amorim” em parceria com Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo, Dr. Antônio Guilherme Monteiro, enfatiza a importância de ingerir líquidos em quantidade suficiente para evitar o ressecamento das fezes e, consequentemente, dificuldades na evacuação. Ele recomenda o consumo diário de um a dois litros e meio de água e a ingestão de fibras encontradas em frutas e vegetais como medidas preventivas e terapêuticas para a constipação.

Os tratamentos para o intestino preso incluem mudanças no estilo de vida, como a prática de exercícios físicos e a dieta rica em fibras, além do uso de medicamentos quando necessário. Em casos mais graves, pode ser necessário recorrer à cirurgia.

“O pilar da manutenção do tratamento e da prevenção da constipação é a educação do paciente em relação à manutenção das medidas dietéticas, da prática regular de atividade física e do uso de medicamentos quando necessário”, reforça a médica gastroenterologista do Centro Especializado em Aparelho Digestivo do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Dra. Ana Cristina de Sá Teixeira.

Data: 19/04/2023 Fonte: Guia da Farmácia - SP

Você tem várias formas de agendar consultas e exames:

Envie uma mensagem para:

WhatsApp

Agende sua consulta ou exame:

Agende online
QR Code Agende sua consulta ou exame

Agende pelo app meu oswaldo cruz

App Meu Oswaldo Cruz disponível no Google Play App Meu Oswaldo Cruz disponível na App Store