São Silvestre: Saiba como evitar lesões antes e durante a corrida

No último dia do ano, 31 de dezembro, acontece a mais tradicional corrida de rua do Brasil, a São Silvestre.

Ao todo, são 15 quilômetros de prova pelas ruas da cidade de São Paulo, com um percurso que inclui subidas, descidas e curvas. Por isso, mesmo os corredores que treinam e participam de competições ao longo do ano, é importante realizar uma avaliação médica, com um especialista em medicina do esporte, e se necessário com cardiologista ou ortopedista, para se preparar melhor para a prova e evitar lesões e outros problemas de saúde.

Além do acompanhamento de um educador físico, principalmente para orientar nos treinos e no fortalecimento muscular. Segundo o ortopedista especializado em joelho e em trauma do esporte do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Dr. Gabriel Pecchia, é necessário analisar a condição dos músculos, das articulações e do sistema cardiopulmonar antes da corrida.

“Uma primeira avaliação médica é essencial, seja para o corredor iniciante ou para o atleta mais experiente”, explica o médico. “O competidor também pode procurar um médico especialista em medicina do esporte. Esse profissional fará uma triagem, além de exames e testes, procurando sinais que possam contraindicar determinada atividade. Em caso de alterações, o médico irá encaminhar o paciente para o especialista correspondente”, complementa.

O corredor também deve sempre ser orientado por um profissional de educação física. O preparo envolve desde o treinamento de corrida até o fortalecimento muscular, especialmente para os corredores amadores e menos experientes. “Diversos estudos indicam que o fortalecimento muscular diminui os índices de lesões e a sobrecarga das articulações. Se o corredor se queixar de alguma dor, é essencial procurar um especialista para investigar a existência de uma lesão”, diz o médico.

As lesões mais comuns são causadas por sobrecarga ou impacto, como tendinite (inflamação nos tendões); fascite plantar, quando ocorre a inflamação da fascia muscular na região plantar do pé; desgaste da cartilagem do joelho; fraturas por estresse e periostite, também conhecida como canelite e que consiste na inflamação do periósteo.

De acordo com o ortopedista, caso a dor não seja tratada, uma prova com subidas e descidas, como a Corrida de São Silvestre pode causar uma lesão ainda mais grave, podendo afastar a pessoa das atividades físicas em até três meses. “O ideal é sempre ser monitorado por um educador físico, que vai adequar o ritmo de treino, a preparação para a prova. Inclusive o tempo de descanso”.
Durante a semana que antecede a São Silvestre, é importante o participante da prova descansar.

No dia da corrida, que começa no período da manhã, o competidor deve se alimentar no mínimo 45 minutos antes da prova e se hidratar bem, com isotônicos e água, mas bebendo pequenos goles durante o percurso.

Tênis novos devem ser evitados, pois podem causar bolhas e feridas nos pés. O ideal é optar por tênis ou sapatilhas específicas para corrida, com os quais o competidor já esteja habituado a correr. Roupas esportivas leves, bonés e protetor solar também são indispensáveis para quem quer concluir bem a prova.

O ortopedista diz que após a corrida, é importante que o competidor repouse, se hidrate e faça compressas de gelo nos membros inferiores. A técnica, conhecida como crioterapia, ajuda na recuperação muscular, na redução da dor e possível inflamação.

Sobre o Hospital Alemão Oswaldo Cruz

O Hospital Alemão Oswaldo Cruz, um dos melhores centros hospitalares da América Latina, é referência em serviços de alta complexidade. Fundado em 1897 por um grupo de imigrantes de língua alemã, o Hospital possui uma das maiores casuísticas do país e concentra seus esforços na busca permanente da excelência do atendimento integral, individualizado e qualificado ao paciente, além de investir fortemente no desenvolvimento científico, por meio da educação e da pesquisa. Com mais de 96 mil m² de área construída, o Hospital dispõe de 321 leitos de internação, 44 leitos instalados na Unidade de Terapia Intensiva, 22 salas de cirurgia e Pronto Atendimento 24 horas. Além disso, oferece uma das mais qualificadas assistências do país e Corpo Clínico renomado, para que os pacientes tenham acesso aos mais altos padrões de qualidade e de segurança no atendimento, atestados pela certificação da Joint Commission International (JCI) – principal agência mundial de acreditação em saúde.

Hospital Alemão Oswaldo Cruz –www.hospitaloswaldocruz.org.br.

Informações para a imprensa

Conteúdo Comunicação
Maria Teresa Moraes –mariateresa.moraes@conteudonet.com.
Alessandra Miranda –alessandra.miranda@conteudonet.com.
Bianca Amorim –bianca.amorim@conteudonet.com.
Roberta Montanari –robertamontanari@conteudonet.com.
Claudio Sá – claudio.sa@conteudonet.com.
Tel.: 11 5056-9817 / 5056-98009-9575-5872.

Gerência de Marketing e Comunicação Institucional

Melina Beatriz Gubser –mgubser@haoc.com.br.
Michelle Barreto –msbarreto@haoc.com.br – Tel.: (11)3549-0852.
Rafael Peciauskas –rpeciaukas@haoc.com.br – Tel.: (11) 3549-0096.

Você tem várias formas de agendar consultas e exames:

Envie uma mensagem para:

WhatsApp

Agende sua consulta ou exame:

Agende online
QR Code Agende sua consulta ou exame

Agende pelo app meu oswaldo cruz

App Meu Oswaldo Cruz disponível no Google Play App Meu Oswaldo Cruz disponível na App Store