Poluição ambiental está associada à um terço dos acidentes vasculares cerebrais no mundo

Estudo inédito publicado no Lancet Neurology aponta ainda que três quartos dos casos de AVC em todo o mundo poderiam ser evitados.

A poluição do ar é um dos principais fatores de risco externos para casos de acidente vascular cerebral (AVC) no mundo, segundo estudo internacional publicado na última edição do Lancet Neurology, importante periódico científico internacional.

O estudo é o primeiro a analisar detalhadamente os fatores de risco globais de acidente vascular cerebral, especialmente em relação à carga de AVC em nível global, regional e nacional. Os pesquisadores usaram dados do Global Burden of Disease Study para estimarem a carga de doenças de acidente vascular cerebral associado com 17 fatores de risco em 188 países. Eles estimaram a fração atribuível à população (FAP) de anos de vida ajustados por incapacidade (DALY) relacionada ao acidente vascular cerebral – ou seja, a proporção estimada da carga de doença em uma população que seria evitada se a exposição a um fator de risco fosse eliminada.

Todos os anos, aproximadamente 15 milhões de pessoas no mundo sofrem um AVC, destes, cerca de seis milhões morrem e cinco milhões ficam com incapacidade permanente.
Cerca de um terço (29,2%) da incapacidade global associada a acidente vascular cerebral está ligada à poluição do ar (incluindo a poluição do ar ambiental e poluição do ar domiciliar). De 1990 a 2013, a carga AVC associado com a poluição do ar ambiental aumentou mais de 33%. Isso é especialmente elevado nos países em desenvolvimento (33,7% contra 10,2% nos países desenvolvidos).

Globalmente, os dez principais fatores de risco de para o AVC são: hipertensão arterial, dieta pobre em frutas, elevado índice de massa corporal, dieta rica em sódio, tabagismo, dieta pobre em vegetais, a poluição do ar ambiental, poluição no domicílio a partir de combustíveis sólidos, dieta baixa em cereais integrais e elevação do açúcar no sangue.

Segundo o Prof. Dr. Jefferson Gomes Fernandes, diretor da Faculdade de Educação e Ciências da Saúde do Hospital Alemão Oswaldo Cruz e um dos coautores do estudo internacional, a descoberta surpreendente é a inesperada elevada proporção de carga AVC atribuível à poluição do ar ambiente, especialmente nos países em desenvolvimento. “Estes achados são importantes para ajudar os governos a desenvolver e priorizar programas e políticas de saúde pública”, diz Fernandes.

Os resultados de uma análise das tendências globais de fatores de risco para acidente vascular cerebral, entre 1990-2013, também mostram que mais de 90% da carga global de acidente vascular cerebral está ligada a fatores de risco modificáveis, a maioria dos quais (74%) são fatores de risco comportamentais, tais como tabagismo, má alimentação e baixa atividade física. Os autores estimam que o controle desses fatores de risco pode prevenir cerca de três quartos de todos os acidentes vasculares cerebrais.

Sobre o Hospital Alemão Oswaldo Cruz

O Hospital Alemão Oswaldo Cruz, um dos melhores centros hospitalares da América Latina, é referência em serviços de alta complexidade. Fundado em 1897 por um grupo de imigrantes de língua alemã, o Hospital possui uma das maiores casuísticas do país e concentra seus esforços na busca permanente da excelência do atendimento integral, individualizado e qualificado ao paciente, além de investir fortemente no desenvolvimento científico, por meio da educação e da pesquisa. Com mais de 96 mil m² de área construída, o Hospital dispõe de 321 leitos de internação, 44 leitos instalados na Unidade de Terapia Intensiva, 22 salas de cirurgia e Pronto Atendimento 24 horas. Além disso, oferece uma das mais qualificadas assistências do país e Corpo Clínico renomado, para que os pacientes tenham acesso aos mais altos padrões de qualidade e de segurança no atendimento, atestados pela certificação da Joint Commission International (JCI) – principal agência mundial de acreditação em saúde.

Hospital Alemão Oswaldo Cruz –www.hospitaloswaldocruz.org.br.

Informações para a imprensa

Conteúdo Comunicação
Maria Teresa Moraes – mariateresa.moraes@conteudonet.com.
Alessandra Miranda –alessandra.miranda@conteudonet.com.
Bianca Amorim – bbianca.amorim@conteudonet.com.
Roberta Montanari –robertamontanari@conteudonet.com.
Claudio Sá –claudio.sa@conteudonet.com.
Tel.: 11 5056-9817 / 5056-98009-9575-5872.

Gerência de Marketing e Comunicação Institucional
Melina Beatriz Gubser –mgubser@haoc.com.br.
Michelle Barreto –msbarreto@haoc.com.br – Tel.: (11)3549-0852.

Você tem várias formas de agendar consultas e exames:

Envie uma mensagem para:

WhatsApp

Agende sua consulta ou exame:

Agende online
QR Code Agende sua consulta ou exame

Agende pelo app meu oswaldo cruz

App Meu Oswaldo Cruz disponível no Google Play App Meu Oswaldo Cruz disponível na App Store