Maio Verde – Mês destaca a importância da prevenção contra o Câncer de Tireoide

Inca estima que mais de 16 mil novos casos da doença sejam diagnosticados neste ano no país

São Paulo, 23 de maio de 2023 – Em 25 de maio, é celebrado o Dia Internacional da Tireoide. O mês é marcado pela campanha Maio Verde, que destaca a importância da prevenção contra o Câncer de Tireoide e para os cuidados com a glândula.

Em formato de “borboleta”, a tireoide é uma glândula endócrina, com a função de produzir hormônios (T3, triiodotironina; e T4, tiroxina), que são secretados no sangue e depois levados para todos os tecidos, auxiliando no bom funcionamento de músculos e órgãos e no equilíbrio do corpo. Ela está localizada na parte da frente e inferior do pescoço.

A glândula da tireoide pode apresentar disfunções no decorrer da vida, que ocasionam em alta (hipertiroidismo) ou baixa (hipotiroidismo) produção de hormônios. O paciente com suspeita de hipertiroidismo pode observar a presença de massa ou nódulo no pescoço, a tireoide aumentada (bócio), emagrecimento, aumento da frequência cardíaca, aceleração do ritmo intestinal, entre outros sintomas. Já nos quadros de hipotiroidismo, nota-se lentidão das funções orgânicas como um todo, ganho de peso, fadiga e sensação de frio constante, entre outras manifestações adversas. Algumas vezes, além dessas disfunções, são encontrados nódulos na tireoide. Na maioria das vezes trata-se de nódulos benignos, que não evoluem para tumores malignos. Cada diagnóstico e tratamento deve ser individualizado, levando em conta o tipo e o tamanho do nódulo, se ele é mais ou menos vascularizado, sua localização, além da idade e do sexo do paciente.

Nem todo nódulo na tireoide é câncer

O Inca (Instituto Nacional do Câncer), estima que 16.660 casos novos de câncer de tireoide sejam diagnosticados neste ano no país. Sem considerar os tumores de pele não melanoma, o câncer de tireoide ocupa a sétima posição entre os tipos de câncer mais frequentes no Brasil.

Mais da metade da população adulta apresenta nódulos na tireoide. Mas, na imensa maioria dos casos, são benignos e não necessitam de cirurgia (muitas vezes, apenas de acompanhamento médico). Cerca de 10% deles apresentam malignidade. Por isso, é importante consultar um profissional especializado para que uma avaliação adequada seja realizada, o diagnóstico feito e o melhor tratamento indicado.

O câncer de tireoide é, na grande maioria dos casos, um tumor com baixa mortalidade e muito diagnosticável”, aponta o Dr. Cheng Tzu Yen, oncologista do Centro Especializado em Oncologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz. “Em alguns casos, o câncer de tireoide pode se apresentar como um nódulo clinicamente palpável, que em geral não é de crescimento rápido, nem doloroso. O diagnóstico passa por exame de imagem, seguido de punção e avaliação do material por patologista experiente. Isso, para casos esporádicos e sem relação familiar hereditária”, explica.

Ainda de acordo com o oncologista, pacientes com histórico familiar podem apresentar mutações voltadas para desencadear o tumor de tireoide. “Por isso, é importante ter um diagnóstico adequado. Dessa forma, conseguimos dividir o câncer de tireoide em tipos, subtipos e variantes, além do folicular e do papilar, que são os cânceres mais comuns, e geralmente tratados com cirurgia e iodoterapia”, observa Dr. Cheng.

Uma vez suspeito e depois confirmado para câncer, o nódulo na tireoide será avaliado, inicialmente, por um cirurgião de cabeça e pescoço. “Esse profissional vai determinar se esse nódulo tem as características para ser tratado apenas com cirurgia (lobectomia ou tireoidectomia), seja ela parcial ou total, ou por outra técnica (como a ablação). Ele também avaliará a baixa morbidade e as complicações que essas cirurgias envolvem. Mas é preciso avaliar caso a caso”, fala Dr. Yen.

A importância do diagnóstico precoce

Uma vez suspeito e depois confirmado para câncer, o nódulo na tireoide será avaliado, inicialmente, por um cirurgião de cabeça e pescoço. “Esse profissional vai determinar se esse nódulo tem as características para ser tratado apenas com cirurgia (lobectomia ou tireoidectomia), seja ela parcial ou total, ou por outra técnica (como a ablação, em casos de nódulo único). Ele também avaliará a baixa morbidade e as complicações que essas cirurgias envolvem. Mas, é preciso avaliar caso a caso”, fala Dr. Yen.

Nas ocasiões em que a realização de cirurgia se faz necessária, o especialista aponta que é importante que o paciente seja avaliado também por um endocrinologista. “Esse especialista precisa participar dessa jornada de tratamento, por conta da necessidade de realizar a reposição de hormônios tireoidianos, em especial, nos casos em que a tireoide é totalmente removida”.

A boa notícia é que, maioria dos casos, os pacientes com câncer de tireoide são curados. “Isso acontece, seja por meio de tratamento por medicina nuclear ou cirurgia. E já existem, também, novas drogas e terapias-alvo voltados para casos mais avançados e refratários a iodo”, conclui Dr. Cheng.

Data: 23/05/2023 Fonte: HAOC

Você tem várias formas de agendar consultas e exames:

Envie uma mensagem para:

WhatsApp

Agende sua consulta ou exame:

Agende online
QR Code Agende sua consulta ou exame

Agende pelo app meu oswaldo cruz

App Meu Oswaldo Cruz disponível no Google Play App Meu Oswaldo Cruz disponível na App Store