Luta contra o câncer de pulmão ganha novos reforços

Novos tratamentos abrangem imunoterapia, segmentectomia pulmonar (retirada de um segmento do pulmão) e abordagem personalizada para cessação do tabagismo

São Paulo, 24 de agosto de 2022 – Todo ano, mais de 150 mil fumantes morrem no Brasil, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. O tabagismo também é responsável por 90% dos cânceres de pulmão registrados no país, que registra 28 mil novos casos por ano, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA). Duas novidades apresentadas durante o Congresso Mundial de Câncer de Pulmão (WCLC) 2022, realizado no início de agosto em Viena, na Áustria, ganharam destaque: um estudo que revela a eficácia da Segmentectomia (retirada de um segmento do pulmão) e o estudo Yorkshire Enhanced Stop Smoking Study (YESS), realizado na Inglaterra, que registrou aumento da cessação do tabagismo depois de uma abordagem personalizada.

Já no Brasil, especialistas comemoram a aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), no dia 15 deste mês, da utilização da imunoterapia, associada à quimioterapia, para o tratamento de pacientes que têm doença inicial e que são candidatos a um tratamento cirúrgico. Para o Dr. Carlos Teixeira, oncologista do Centro Especializado em Oncologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, essas novidades devem beneficiar os pacientes que enfrentam tratamentos de câncer de pulmão, diminuindo as taxas de recidiva da doença.

“A aprovação do uso da imunoterapia associada à quimioterapia neste cenário de doença inicial traz importantes vantagens: redução de 37% no risco de progressão da doença e aumento da resposta patológica verificada no tumor (que é uma forma de avaliar a efetividade dessa modalidade de tratamento, bem como os benefícios trazidos por ela) salta de 2%, somente com quimioterapia e cirurgia, para 24% com a utilização da imunoterapia e da quimioterapia juntas”, ressalta.

O especialista destaca que em dois anos de estudo dessa nova abordagem, em 63% dos pacientes que fizeram cirurgia não houve recidiva, enquanto em pacientes que fizeram só quimioterapia e cirurgia esse número foi de 45%.

O oncologista também comenta sobre os avanços da cirurgia e a utilização da segmentectomia. “Apesar de ser uma técnica voltada para pacientes com tumores menores do que dois centímetros e com função pulmonar prejudicada, é uma cirurgia que poupa o pulmão não comprometido pela doença, porque retira um segmento do pulmão, em vez de um lobo inteiro. Isso significa que uma ressecção menor permite uma maior preservação do pulmão. A preservação de uma maior parte de pulmão saudável pode gerar um ganho na qualidade de vida”.

O estudo YESS se destacou no Congresso Internacional porque colocou em foco prevenção, tanto no que diz respeito à cessação do tabagismo, quanto à detecção precoce do câncer de pulmão. A pesquisa baseou-se em pacientes com câncer de pulmão que participaram de um programa de rastreamento da doença e que integraram um estudo personalizado de cessação do tabagismo (que ofereceu um momento educativo com imagens e relatos das doenças causadas pelo cigarro) e alcançou taxas de abstinência de mais de 30%.

“A oferta de apoio para cessação de tabagismo com suporte comportamental e farmacológico e rastreamento de câncer com tomografia associada ao programa de antitabagismo, diminuiu a mortalidade dos pacientes. Combinando as duas estratégias foi possível duplicar a redução de mortalidade nesses voluntários”, comemora o médico do Centro Especializado em Oncologia e complementa: “Durante o estudo foram observadas mudanças nas variáveis psicológicas, inclusive na motivação para deixar de fumar mediante o risco de câncer de pulmão, na crença e na confiança nas estratégias de cessação. Esse estudo ressalta a necessidade de combater o principal fator de risco em câncer de pulmão: o cigarro. É possível não só fazer detecção precoce, mas de fato evitar o surgimento do câncer quando educamos sobre os malefícios do cigarro”.

Data: 24/08/2022

Você tem várias formas de agendar consultas e exames:

Envie uma mensagem para:

WhatsApp

Agende sua consulta ou exame:

Agende online
QR Code Agende sua consulta ou exame

Agende pelo app meu oswaldo cruz

App Meu Oswaldo Cruz disponível no Google Play App Meu Oswaldo Cruz disponível na App Store