Lavar carnes na pia pode causar intoxicação alimentar

Infectologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz dá dicas para evitar contaminação no preparo das refeições 
 

São Paulo, 24 de janeiro de 2024 – Segundo pesquisa da Universidade de São Paulo, publicada em 2021, cerca de 46% dos brasileiros lavam carnes na pia da cozinha, 31% só higienizam as verduras com água corrente e 24% consomem carnes malcozidas. Esses hábitos aumentam o risco de infecções gastrointestinais causadas por bactérias presentes nos alimentos.

Para prevenir esses problemas o Dr. Stefan Cunha, infectologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, orienta sobre a correta higienização dos alimentos, desde o manuseio correto de carnes até a forma de lavar frutas e verduras, destacando a importância da conscientização sobre práticas seguras na cozinha.

1. Cozimento adequado de carnes: 

O intestino de animais consumidos em refeições, como porcos, gado e aves, abriga bactérias como Salmonella e Shigella. Ao lidar com carnes, o Dr. Stefan enfatiza que lavá-las não é necessário, pois, além de espalhar bactérias em volta da pia, podendo ocasionar a contaminação cruzada, esses organismos já são destruídos ao atingir elevadas temperaturas no cozimento. O médico ainda destaca importância de não comer carnes semicozidas, uma vez que isso pode ser indicador que o alimento não foi preparado na temperatura ideal.

2. Higienização das frutas: 

No caso de frutas lisas, como peras e maçãs, o especialista sugere simplesmente esfregá-las sob água corrente para remover possíveis contaminantes. Mas, com as frutas de casca, como melão, melancia ou mamão, é preciso ter mais cautela. A casca externa dessas frutas pode estar contaminada, e ao usar a faca, é possível levar as bactérias de fora para dentro do alimento. Recomenda-se, portanto, lavar bem a superfície dessas frutas antes de cortá-las.

3. Imersão em água sanitária para verduras enrugadas: 

Para garantir a eliminação de bactérias em verduras enrugadas, como alface, o infectologista recomenda mergulhar o alimento em uma solução de dois litros de água com uma colher de sopa de água sanitária (hipoclorito). Após esse processo, é importante enxaguar a verdura em água corrente para eliminar resíduos de água sanitária. O uso de vinagre não é recomendado devido à falta de estudos sobre a concentração ideal.

4. Evitar contaminação cruzada: 

A contaminação cruzada ocorre quando, por exemplo, a carne é cortada em uma superfície e depois, no mesmo lugar, verduras são preparadas sem limpar direito. As bactérias da carne podem passar para as verduras, contaminando-as. Por isso, segundo o Dr. Stefan, é recomendado usar tábuas diferentes para carnes e verduras, evitando esse tipo de problema durante o preparo dos alimentos. 

5. Cuidados com ovos e Salmonella: 

O médico explica que a presença da Salmonella nos ovos está relacionada ao intestino das aves. Quando as aves botam ovos próximos aos seus excrementos, a bactéria pode entrar através da casca. Para evitar isso, é essencial buscar granjas que mantenham boas práticas de higiene e limpeza, garantindo que os ovos sejam coletados rapidamente. Granjas bem cuidadas têm menos ovos contaminados.

Vale ressaltar que a Salmonella é sensível à temperatura, sendo destruída durante o cozimento adequado dos ovos. Contudo, o consumo de ovos malcozidos ou crus é desaconselhado como medida preventiva.

Data: 24/01/2023 Fonte: Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Você tem várias formas de agendar consultas e exames:

Envie uma mensagem para:

WhatsApp

Agende sua consulta ou exame:

Agende online
QR Code Agende sua consulta ou exame

Agende pelo app meu oswaldo cruz

App Meu Oswaldo Cruz disponível no Google Play App Meu Oswaldo Cruz disponível na App Store