Junho Verde – Mês da Conscientização da Escoliose: Entenda a importância da detecção precoce da doença para sua saúde

A escoliose possui diversos graus e para cada um há o indicativo de tratamento

São Paulo, 13 de junho de 2022 – A escoliose é uma alteração na coluna vertebral causada por uma curvatura lateral que atinge de 2 a 3% da população, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Entre os mais acometidos pela doença estão as adolescentes do sexo feminino. A doença pode ser idiopática ou secundária. A idiopática não tem causa identificada e, geralmente, se manifesta na pré-adolescência, e se agrava durante o pico de crescimento. Já a secundária, é provocada por más-formações congênitas, doenças neuromusculares ou que se formam por conta da degeneração da coluna, normalmente na vida adulta. Aqueles que apresentam curvatura entre 10 e 40 graus devem ser acompanhados pelo médico ortopedista. Procedimentos cirúrgicos são recomendados a partir de curvaturas de 50 graus na coluna e são indicados para evitar problemas cardíacos e pulmonares que podem ser acarretados pela deformidade.

A detecção precoce da doença é fundamental para o tratamento da escoliose, uma vez que ela progride com o crescimento. De acordo com o Dr. Marcelo Risso, ortopedista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, com o uso de coletes, métodos de estabilização e fisioterapia é possível conter a progressão da escoliose em crianças.

A prática de exercícios físicos pode ser uma aliada dos pacientes. O médico indica atividades na água como hidroginástica, natação e Pilates, além de alguns exercícios de fortalecimento da musculatura da coluna que podem ajudar no tratamento, desde que realizados com a ajuda de um profissional qualificado.

Sessões de fisioterapia podem auxiliar no tratamento da escoliose, ainda assim, o especialista recomenda que a indicação seja avaliada individualmente, considerando as particularidades de cada paciente. A decisão deve ser sempre tomada em conjunto com o ortopedista, que irá recomendar o tipo de exercício, carga e frequência do tratamento fisioterápico.

Como identificar a escoliose?

No caso das crianças, é possível identificar pelos pais. Basta colocá-las de costas, sem camiseta, colocar os dois braços para frente e fletir o tronco, para que assim se tenha ideia se ele está com algum desvio na coluna. Além disso, há alguns sinais que podem ser comuns na escoliose:

  • Diferença na altura dos ombros;
  • Assimetria nas mamas das meninas;
  • Presença de gibosidade nas costas (saliência);
  • Cabeça não centralizada;
  • Escápula mais alta e possivelmente mais proeminente de um lado;
  • Espaços alterados entre os braços e o tronco;
  • Um lado do quadril mais proeminente.

“A conscientização da escoliose é fundamental para que o diagnóstico da doença ocorra ainda na infância ou adolescência, permitindo que o tratamento aconteça nas fases iniciais do problema. Dessa forma, é possível minimizar dores e limitações decorrentes do diagnóstico tardio, além de proporcionar mais qualidade de vida aos pacientes”, afirma Dr. Marcelo Risso.

Data: 13/06/2022

Você tem várias formas de agendar consultas e exames:

Envie uma mensagem para:

WhatsApp

Agende sua consulta ou exame:

Agende online
QR Code Agende sua consulta ou exame

Agende pelo app meu oswaldo cruz

App Meu Oswaldo Cruz disponível no Google Play App Meu Oswaldo Cruz disponível na App Store