Julho Verde: Prevenção pode evitar um terço dos casos de câncer de cabeça e pescoço

Oncologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz alerta sobre a importância do diagnóstico precoce que eleva as chances de cura em até 90%

São Paulo, 17 de julho de 2023 – Anualmente, no dia 27 de julho, é celebrado o Dia Mundial de Prevenção do Câncer de Cabeça e Pescoço. De acordo o INCA (Instituto Nacional de Câncer) dos 640 mil casos novos de câncer estimados para este ano, aproximadamente 43 mil são tumores de cabeça e pescoço. A data visa conscientizar a população sobre a importância da prevenção.

O câncer de cabeça e pescoço já é considerado o sexto tipo de tumor mais comum no mundo. Embora cresçam de maneira silenciosa, com poucos sinais e sintomas, a boa notícia é que cerca de um terço deles pode ser evitado. Componentes do sistema respiratório e aparelho digestivo como boca, língua, faringe, garganta, glândulas salivares, seios paranasais, tireoide, entre outros, fazem parte desse grupo de cabeça e pescoço, que podem apresentar nódulos. Entre os homens, o tipo de câncer mais comum é o de boca, e o mais frequente entre as mulheres é o da glândula tireoide, dentro da classificação do câncer de cabeça e pescoço.

Segundo o INCA, o número de novos casos de câncer da cavidade oral estimado para o Brasil, para cada ano do triênio de 2023 a 2025, é de 15.100 casos, correspondendo ao risco estimado de 6,99 por 100 mil habitantes, sendo 10.900 em homens e 4.200 em mulheres. Esses valores correspondem a um risco estimado de 10,30 casos novos a cada 100 mil homens e 3,83 a cada 100 mil mulheres.

Já, o número estimado de casos novos de câncer da laringe para o Brasil, para cada ano do triênio de 2023 a 2025, é de 7.790 casos, correspondendo ao risco estimado de 3,59 por 100 mil habitantes, sendo 6.570 casos em homens e 1.220 casos em mulheres. Esses valores correspondem a um risco estimado de 6,21 casos novos a cada 100 mil homens e 1,09 a cada 100 mil mulheres. Projeções a longo prazo da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que haverá 27 milhões de novos casos de câncer em 2030.

“Um nódulo persistente no pescoço de consistência firme e endurecida, dificuldades para mastigar e engolir, lesão na boca que não cicatriza de 10 a 14 dias com sangramento contínuo, pacientes que se engasgam com frequência e rouquidão prolongada por mais de três semanas são alguns dos sintomas para o câncer de cabeça e pescoço. É importante ficar atento a esses sinais”, explica o Dr. Cheng Tzu, oncologista e coordenador do Núcleo de Tumores de Cabeça e Pescoço do Centro Especializado em Oncologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

De acordo com o oncologista, adotar hábitos saudáveis como uma boa higiene bucal e a ida periódica ao dentista, para que seja realizado exames clínicos é fundamental na prevenção e diagnóstico da doença. “É importante o dentista valorizar sempre a queixa do paciente, como por exemplo, lesões que não cicatrizam há mais de 10 dias e, caso houver alguma suspeita, direcionar o caso para um oncologista, para uma análise e definição da melhor conduta terapêutica”, esclarece.

Fatores de risco

O cigarro e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas são os fatores de risco mais conhecidos. Porém estudos recentes publicados pelo Johns Hopkins Oncology Center, nos Estados Unidos, mostram que o HPV (papilomavírus humano) é um dos fatores que estão em alta na predisposição do desenvolvimento do câncer de boca.

Em geral, o câncer causado pelo HPV é menos agressivo localmente, mas pode comprometer os linfonodos do pescoço de maneira mais rápida. No entanto, são mais sensíveis às terapias cirúrgicas ou aos tratamentos com radioterapia e quimioterapia. Quando diagnosticados em estágio inicial, as chances de cura podem chegar a 90%.

Enquanto o hábito de fumar vem diminuindo, o número de casos de HPV segue em direção contrária. “Ele está associado, principalmente, aos tumores de orofaringe em pacientes na faixa etária de 40 a 50 anos, decorrente do ato sexual sem proteção, o que resultou em um significativo aumento de casos de tumores de cabeça e pescoço sem histórico de tabagismo e alcoolismo, por exemplo”, explica.

Formas de tratamentos específicos

Tanto a radioterapia como a sua combinação com a quimioterapia e a cirurgia podem curar muitos pacientes portadores deste tipo de câncer. É importante que a escolha do tratamento se dê pela avaliação do time multidisciplinar envolvendo no acompanhamento de cada paciente para melhor coordenação do cuidado e êxito no desfecho de cada caso.

Previna-se!

  • Evite o consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • Procure manter uma alimentação saudável, com o consumo de frutas, legumes e verduras, e evitar o consumo em excesso de alimentos embutidos e industrializados;
  • Mantenha a higiene bucal em dia;
  • A vacina contra o HPV oferecida gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos, deve ser amplamente divulgada e discutida com o médico. Os pais e responsáveis devem estar atentos à incidência crescente de tumores relacionados ao vírus entre os jovens e buscar vacinar os seus filhos nesta faixa etária;
  • Para os pacientes expostos aos fatores de risco, buscar o acompanhamento regular com um cirurgião de cabeça e pescoço, isso é fundamental para detectar precocemente alguma lesão suspeita;
  • Abandone o cigarro. Esta é a melhor maneira de evitar a maioria dos cânceres de boca, faringe e laringe.
Data: 17/07/2023 Fonte: HAOC

Você tem várias formas de agendar consultas e exames:

Envie uma mensagem para:

WhatsApp

Agende sua consulta ou exame:

Agende online
QR Code Agende sua consulta ou exame

Agende pelo app meu oswaldo cruz

App Meu Oswaldo Cruz disponível no Google Play App Meu Oswaldo Cruz disponível na App Store