Imunoterapia é destaque em Simpósio Internacional de Linfoma de Hodgkin, na Alemanha

Especialista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz foi o único palestrante brasileiro no maior evento mundial sobre Linfoma de Hodgkin, realizado na Alemanha

São Paulo, 31 de outubro de 2022 – O tratamento por Imunoterapia foi ponto alto do Simpósio Internacional de Linfoma de Hodgkin (International Symposium of Hodgkin Lymphoma), deste ano, o maior evento mundial sobre o tema, realizado a cada dois anos na Alemanha, país responsável pelo maior volume de estudos sobre o tema.

Referência no Brasil quando se trata de Linfoma de Hodgkin, O Dr. Otavio Baiocchi, coordenador Centro Especializado em Linfoma, Mieloma e Terapia Celular do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, foi o único palestrante de fora da Europa e dos EUA em plenária durante o simpósio e ressalta a importância da imunoterapia no combate ao câncer. “O destaque que essas drogas alcançaram se dá, exatamente, por elas serem capazes de ativar o sistema imunológico dos pacientes, para que o próprio corpo combata o tumor”, destaca.

A sessão que contou com a palestra do Dr. Baiocchi teve como tema Linfoma de Hodgkin em Situações Especiais. O especialista, que abordou a relação do HIV com esse tipo de câncer, disse que atualmente o linfoma de Hodgkin é uma doença altamente curável e o tratamento evoluiu muito nos últimos 10 anos, especialmente, para pessoas soropositivas. “Hoje, tratamos pacientes que vive com HIV ou não da mesma maneira. Não há mais uma distinção na terapêutica. E esse avanço se deu, principalmente, por causa da evolução do tratamento do HIV, que conta com um maior controle viral e com o aumento da imunidade”, esclarece.

O especialista acredita que o tratamento por imunoterapia é o caminho para a cura do câncer de uma forma geral e, em especial, para o tratamento do Linfoma de Hodgkin.

“Os resultados mundiais são excelentes. Temos diversos estudos que comprovam a eficácia da imunoterapia na luta contra o Linfoma de Hodgkin e na prática verificamos que além de curar, melhora a qualidade de vida dos pacientes. Sintomas como enjoos e queda de cabelo são praticamente ausentes nesse tratamento. Além disso, antigamente entre 30% e 40% dos pacientes com linfoma de Hodgkin eram encaminhados para o transplante. Hoje, graças à imunoterapia, esse número não atinge nem 10%”, comemora o oncologista.

Data: 31/10/2022 Fonte: HAOC

Você tem várias formas de agendar consultas e exames:

Envie uma mensagem para:

WhatsApp

Agende sua consulta ou exame:

Agende online
QR Code Agende sua consulta ou exame

Agende pelo app meu oswaldo cruz

App Meu Oswaldo Cruz disponível no Google Play App Meu Oswaldo Cruz disponível na App Store