Hospital Alemão Oswaldo Cruz inaugura Centro de AVC

Neurologia se consolida como uma das áreas-foco do Hospital, ressaltando a conscientização para o atendimento imediato e o alerta para os sintomas das doenças cerebrovasculares.

São Paulo, 29 de outubro de 2013 – O Hospital Alemão Oswaldo Cruz acaba de lançar seu Centro de Acidente Vascular Cerebral (AVC). Coordenado pelos neurologistas Dr. Jefferson Gomes Fernandes e Dr. Roberto Carneiro de Oliveira, o Centro conta com infraestrutura composta por uma Unidade de AVC Agudo, inserida na UTI Neurológica, e uma Unidade de Internação Neurológica exclusiva.

“Nossa atuação é multidisciplinar, envolvendo, além de médicos emergencistas e intensivistas capacitados para o atendimento inicial, equipes de retaguarda Neurológica, Neurocirúrgica e de Neuroradiológia Intervencionista. Estas equipes atuam de forma integrada com os profissionais de enfermagem, nutrição e reabilitação do Hospital, oferecendo as melhores práticas médicas na assistência às pessoas com AVC que buscam o nosso Hospital”, explica Dr. Jefferson.

O AVC é uma das principais causas de morte e de incapacitação física no Brasil e no mundo, entretanto, muitas vezes, seus sintomas e sinais são negligenciados pelos pacientes devido à falta de conhecimento ou à confusão com problemas de menor gravidade. A doença é evidenciada por manifestações como súbita fraqueza ou formigamento em um lado do corpo (braço, perna e face), alteração da coordenação e equilíbrio, desorientação, dificuldades para articular a fala, desvios da boca para o lado e dor de cabeça intensa, sem qualquer motivo aparente.

“Em geral, o risco de sofrer um AVC aumenta depois dos 60 anos, mas isso não quer dizer que não possa ocorrer em pessoas mais jovens. Além de considerar o histórico familiar, existem fatores que favorecem doenças cerebrovasculares e que precisam ser observados com muita atenção, como colesterol elevado, diabetes, obesidade, tabagismo e o consumo excessivo de álcool. Mas a principal causa controlável dos acidentes vasculares cerebrais – sobretudo da forma hemorrágica, que é a mais agressiva – é a hipertensão arterial”, explica o neurologista.

O lançamento do Centro de AVC também alerta para a questão do tempo de atendimento, que é crucial no caso de doenças cerebrovasculares. Quanto menor o tempo entre o início dos sintomas e o tratamento, maiores serão as chances de sobrevida, assim como as de recuperação e redução de sequelas. O atendimento realizado nas primeiras quatro horas e meia pode ser fundamental para a redução de sequelas no caso de um AVC isquêmico.

“O AVC precisa ser considerado uma emergência médica. Esse é um grande ponto de conscientização junto à população. As pessoas tendem a não dar a devida importância para sintomas como pequenas restrições de movimento ou alguma dificuldade para falar. Diferentemente do que ocorre com a suspeita de infarto do miocárdio, por exemplo, os pacientes acabam tardando a ida ao Hospital, colocando em risco a recuperação e até a vida”, enfatiza Dr. Jefferson.

Tipos de AVC

Caracterizado pelo déficit neurológico provocado por problemas nos vasos sanguíneos do sistema nervoso central, o AVC é, geralmente, dividido em dois grupos principais:

Isquêmico – que ocorre pela obstrução ou redução brusca do fluxo sanguíneo em uma artéria cerebral, causando falta de circulação. Mais de 80% dos acidentes vasculares cerebrais são do tipo isquêmico.

Hemorrágico – ocasionado pela ruptura espontânea de um vaso, com extravazamento de sangue, podendo ocasionar maiores danos ao paciente.

Você tem várias formas de agendar consultas e exames:

Envie uma mensagem para:

WhatsApp

Agende sua consulta ou exame:

Agende online
QR Code Agende sua consulta ou exame

Agende pelo app meu oswaldo cruz

App Meu Oswaldo Cruz disponível no Google Play App Meu Oswaldo Cruz disponível na App Store