Hospital Alemão Oswaldo Cruz alerta para os riscos de contaminação durante o período de chuvas

Leptospirose, hepatite A e doença diarreica aguda podem ser transmitidas pelo contato com água contaminada

São Paulo, 9 de janeiro de 2024 – Com a chegada do verão, além da elevação das temperaturas, é comum a ocorrência de chuvas de curta duração e de forte intensidade, o que aumenta os riscos de enchentes, alagamentos, transbordamento de esgotos e rios e de deslizamentos de terra. Com isso, crescem também o número de casos de Leptospirose, doença transmitida pelo contato com a urina de ratos, Hepatite A e Doenças Diarreicas Agudas (DDA). 

Para auxiliar nos cuidados com a saúde no período mais chuvoso do ano, o infectologista e coordenador do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Filipe Piastrelli, orienta como se proteger. 


De acordo com o Ministério da Saúde, entre janeiro e novembro de 2023, o país registrou cerca de 2 mil casos de Leptospirose e mais de 180 mortes. Para evitar a transmissão da doença é importante minimizar ao máximo o contato com a água suja e barrenta. Além disso, sair rapidamente do ambiente atingindo é fundamental para que as bactérias não penetrem na pele, afirma o especialista. Os principais sintomas da Leptospirose são dores pelo corpo principalmente nas panturrilhas, febre, icterícia rubínica (coloração amarelada na pele e nos olhos, que por vezes podem ficar avermelhados) e dor de cabeça. O período de incubação da doença pode chegar a até 30 dias, mas normalmente os sintomas se manifestam entre 7 e 14 dias após a exposição ao risco.  O diagnóstico da doença é feito por meio de exame de sangue. 

O tratamento da Leptospirose consiste no uso de antibióticos e medidas de suporte clínico, muitas vezes requer internação hospitalar. “A qualquer sinal dos primeiros sintomas é importante procurar um médico e relatar o contato com a enchente, para que seja feita uma melhor avaliação clínica para a possibilidade de Leptospirose e o tratamento seja instituído precocemente caso seja pertinente. A Leptospirose pode evoluir com comprometimento renal, hepático e pulmonar e até mesmo levar à morte.”, explica o infectologista.  


Já a Hepatite A é uma infecção causada pelo vírus A da hepatite (HVA) e que pode ser contraída quando há o consumo de alimentos ou líquidos contaminados. Os primeiros sintomas da doença são perda de apetite e dores abdominais. É importante lembrar que é possível evitar essa doença por meio da vacinação. 


As Doenças Diarreicas Agudas são caracterizadas por uma infecção gastrointestinal, que pode ser causada por diferentes agentes, como bactérias, vírus ou parasitas. A doença altera a consistência das fezes, que fica aquosa ou pouco consistente, e há o aumento do número de evacuações em 24 horas, quadro que pode ser acompanhado de vômitos. 


Segundo o Dr. Filipe Piastrelli, essas doenças aparecem de forma silenciosa e por isso, as pessoas que tiveram contato com água contaminada devem procurar ajuda médica o quanto antes. 

Dengue, Zica e Chikungunya 

Os períodos de chuvas intensas, aumenta a preocupação dos especialistas também com a proliferação dos casos de Dengue, Zica e Chikungunya, que são provocadas pelo mosquito Aedes aegypti, cuja reprodução é maior durante a estação mais quente do ano. De acordo com dados divulgados pelo Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo, até a primeira quinzena de dezembro deste ano, foram registrados cerca de 316 mil casos de Dengue, 2 mil de Chikungunya e quatro de Zika. 


Os principais sintomas dessas doenças são febre alta, manchas na pele, dor de cabeça e dores pelo corpo, principalmente nas articulações. Quem apresenta esses sintomas deve procurar atendimento médico, pois são doenças potencialmente graves.


“A principal forma de prevenção é eliminar pontos que podem acumular água parada e que provocam o surgimento de poças de água, locais propícios para a proliferação das lavas do mosquito transmissor dessas três doenças. Para isso, é importante manter caixas d´água bem tampadas, evitar o acúmulo de lixo, realizar a limpeza frequente de ralos, calhas além de eliminar pratos em vasos de plantas”, reforça Dr. Filipe.  

O que fazer em casos de enchentes 

Caso você tenha sido vítima de uma inundação, a limpeza dos ambientes atingidos deve ser feita quando a água baixar e sempre com o uso de protetores como luvas, botas impermeáveis ou sacos plásticos duplos para pernas e braços. 

O que não puder ser recuperado deve ser descartado e o barro que permanecer nos ambientes, utensílios, móveis e outros objetos deve ser removido usando escova ou vassoura, sabão e água limpa. Para a limpeza de ambientes e superfícies deve-se utilizar produtos à base de hipoclorito de sódio (como água sanitária).

Todos os alimentos que tiveram contato com a água das enchentes devem ser jogados fora, pois mesmo quando lavados e secos, ainda podem estar contaminados.

Atenção com as crianças, elas não devem jamais brincar com a água suja das poças e inundações. 

Data: 09/01/2024 Fonte: Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Você tem várias formas de agendar consultas e exames:

Envie uma mensagem para:

WhatsApp

Agende sua consulta ou exame:

Agende online
QR Code Agende sua consulta ou exame

Agende pelo app meu oswaldo cruz

App Meu Oswaldo Cruz disponível no Google Play App Meu Oswaldo Cruz disponível na App Store