Ministério da Saúde estima que cerca de 10 milhões de pessoas convivem com osteoporose

A osteoporose é uma condição que resulta na perda gradual da densidade óssea, tornando os ossos mais frágeis e susceptíveis a fraturas.

A deficiência hormonal de estrogênio, comumente associada à menopausa, é um dos principais desencadeadores da doença, impactando sobretudo as mulheres. Segundo dados da Abrasso (Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo), uma em cada três mulheres e um em cada cinco homens, a partir dos 50 anos, enfrentarão fraturas causadas pela osteoporose em algum momento. O Ministério da Saúde estima que a condição, que provoca cerca de 200 mil óbitos anualmente, afeta aproximadamente 10 milhões de pessoas no Brasil.

A osteoporose se divide em dois tipos: a primária e a secundária. A primária, por sua vez, divide-se em dois subtipos. O tipo 1, mais comum em mulheres após a menopausa, está diretamente relacionado à diminuição dos níveis de estrógeno, o hormônio feminino predominante nessa fase. Enquanto isso, o envelhecimento é um dos fatores predominantes para a osteoporose do tipo 2, caracterizada pela escassez de reservas de cálcio.

Por outro lado, a osteoporose secundária está associada a condições como insuficiência renal crônica, hipertireoidismo, uso de medicamentos como corticoides, doenças hepáticas e intestinais inflamatórias, bem como a artrite reumatoide.

As implicações das fraturas resultantes do enfraquecimento ósseo são alarmantes. A Abrasso estima que até 24% dos pacientes falecem no ano seguinte a uma fratura no quadril. Ademais, 40% dos pacientes necessitam de auxílio para locomoção, e cerca de 33% dos indivíduos com fraturas no quadril tornam-se totalmente dependentes ou acabam em casa de repouso.

Segundo a Dra. Marcia Veloso, reumatologista do Centro de Saúde da Mulher da Unidade Campo Belo do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, a osteoporose muitas vezes permanece assintomática nos estágios iniciais, o que pode dificultar o diagnóstico precoce. Geralmente, os sintomas se manifestam apenas com a ocorrência de fraturas, que podem ser tanto espontâneas quanto resultantes de traumas.

Atividades físicas regulares, exposição solar e uma alimentação equilibrada são aliados cruciais na prevenção da osteoporose. A prática adequada de exercícios aeróbicos e musculação, combinada a uma dieta rica em cálcio e vitamina D desde a infância, são fundamentais para a saúde óssea.

Para o tratamento eficaz da osteoporose, é essencial buscar orientação médica e realizar exames de rotina para avaliar os níveis de vitamina D e cálcio no organismo, independentemente da idade. A Dra. Marcia Veloso destaca a importância de iniciar a educação sobre saúde óssea desde a infância, enfatizando que crianças com uma dieta rica em cálcio têm menos probabilidade de enfrentar problemas relacionados a fraturas ósseas na vida adulta.

O tratamento é altamente individualizado e pode envolver medicamentos e, em casos mais graves, procedimentos cirúrgicos. A colaboração entre reumatologistas, ortopedistas, fisioterapeutas e nutricionistas é essencial para a reabilitação dos pacientes e a prevenção de futuras fraturas.

Além disso, medidas simples no ambiente doméstico, como manter espaços desobstruídos e bem iluminados, podem reduzir o risco de quedas e, consequentemente, de fraturas ósseas. Eliminar tapetes, instalar pisos antiderrapantes e utilizar calçados adequados também são medidas preventivas valiosas.

Data: 23/10/2023 Fonte: Farol da Bahia - BA

Você tem várias formas de agendar consultas e exames:

Envie uma mensagem para:

WhatsApp

Agende sua consulta ou exame:

Agende online
QR Code Agende sua consulta ou exame

Agende pelo app meu oswaldo cruz

App Meu Oswaldo Cruz disponível no Google Play App Meu Oswaldo Cruz disponível na App Store