Hospital Alemão Oswaldo Cruz realiza tratamento inédito para hiperplasia prostática benigna

Procedimento pioneiro realizado no país reduz para 10% a chance de pacientes terem ejaculação retrógrada; em cirurgia convencional índice chega a 90%.

O Hospital Alemão Oswaldo Cruz é pioneiro no país a realizar o tratamento de hiperplasia benigna de próstata a técnica utilizando vapor de água (Rezum®). O método consiste na utilização da água, em forma de vapor, a mais de 100°C, para reduzir o tamanho da próstata. Este procedimento é indicado a pacientes com quadro de Hiperplasia Benigna da Próstata e diminui drasticamente as chances de ejaculação retrógrada, situação comum entre 80% e 90% dos homens submetidos às cirurgias convencionais para hiperplasia.

Por meio da nova tecnologia, já difundida nos Estados Unidos e agora aprovada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para ser utilizada no Brasil, é introduzida uma câmera de vídeo pelo canal da urina do paciente, por onde é injetado diretamente na próstata, um vapor de água a mais de 100°C. Ao entrar em contato com o tecido prostático, cuja temperatura é de 36°C, provoca-se um equilíbrio térmico e o tamanho da próstata é reduzido em até 48%. O procedimento apresenta resultados duradouros, com taxa de reincidência de 4,4% em 5 anos, independente da faixa etária.

A hiperplasia da próstata é caracterizada pelo aumento da glândula com o envelhecimento masculino, e ocorre em todos os homens, a depender da idade somente. A partir da quarta década de vida muitos homens apresentam crescimento prostático, que evolui com o avanço da idade. Sendo que praticamente 100% dos homens terão, se atingirem os 90 anos, explica o coordenador do Centro Especializado em Urologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Dr. Carlo Passerotti.

“Cerca de 20% dos homens a partir dos 50 anos tem o aumento do tecido que compromete o canal da uretra, dificultando ou impedindo a passagem da urina e o surgimento de infecções urinárias de repetição. Em condições normais, a próstata pesa 25 gramas, e aumentada, ela pode chegar até mais de quatro vezes esse tamanho”, diz.

As cirurgias endoscópicas convencionais, chamadas de raspagem (Ressecção Transuretral da Próstata – RTU) corrigem o problema da hiperplasia, mas em até 90% dos operados, o procedimento ocasiona ejaculação retrógrada, quando o esperma vai para a bexiga, ao invés de sair pela uretra, resultando na diminuição ou ausência de esperma durante o orgasmo. “A ejaculação retrógrada afeta significativamente a autoestima dos homens, que relacionam o fato da pouca ou nula ejaculação à impotência sexual. Com esse novo procedimento reduzimos para 10% os casos de ejaculação retrógrada”, explica o Dr. Passerotti.

Além de solucionar a hiperplasia e eliminar, quase que na totalidade dos casos a ejaculação retrógrada, a nova técnica também melhora importantes implicações ocasionadas pelo crescimento prostático benigno, a urgência urinária, o aumento da frequência, e em alguns casos, até a incontinência decorrente do aumento da próstata. Outro benefício do uso da tecnologia é que ela permite uma recuperação mais rápida do paciente. “O procedimento é seguro e extremamente rápido, sendo realizado em poucos minutos. Como o risco de sangramento é inferior a 1%, não há necessidade de internação, possibilitando dessa forma que o homem retome rapidamente às suas atividades rotineiras”, afirma o Dr. José Carlos Truzzi, Coordenador do Setor de Disfunções Miccionais do Centro de Urologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

O especialista alerta ainda que nos dois primeiros meses após o procedimento, o paciente pode sentir algum desconforto e ardência ao urinar, mas que esses sintomas são transitórios e reversíveis.

Data: 28/06/2023 Fonte: ANAHP - SP

Você tem várias formas de agendar consultas e exames:

Envie uma mensagem para:

WhatsApp

Agende sua consulta ou exame:

Agende online
QR Code Agende sua consulta ou exame

Agende pelo app meu oswaldo cruz

App Meu Oswaldo Cruz disponível no Google Play App Meu Oswaldo Cruz disponível na App Store