Câncer na panturrilha? Conheça os sarcomas de partes moles

Existe câncer na panturrilha? Os sarcomas podem ocorrer em qualquer parte do organismo, mas é comum que eles atinjam os membros inferiores, como a panturrilha e os pés.

A grande maioria das pessoas costuma associar a ocorrência de tumores em órgãos como pâncreas, mamas e fígado, que realmente são mais incidentes na população brasileira. Entretanto, entre 1% e 2% dos tumores também podem acometer tendões, músculos e cartilagem, e são denominados sarcomas de partes moles.

Os sarcomas podem ocorrer em qualquer parte do organismo, como braços, costas, coxas e abdômen, mas é comum que eles acometam os membros inferiores, como a panturrilha e os pés. Quando atingem os ossos são denominados osteossarcomas (mais comuns em crianças e adolescentes).

O diagnóstico precoce é essencial, pois, dependendo do grau de malignidade do tumor, ele pode se espalhar mais facilmente pelo organismo. Os graus são divididos em baixo, intermediário e alto.

“Nos membros inferiores, por exemplo, um dos órgãos frequentemente atingidos por metástase é o pulmão”, explica o dr. Waldec Jorge, oncologista do Centro Especializado em Oncologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

Como identificar? Normalmente os sarcomas não manifestam sintomas nos estágios iniciais, o que torna a sua identificação desafiadora. Entretanto, o dr. Waldeck explica que na região dos braços e pernas, onde há menos gordura, é possível notar nódulos que vão aumentando de tamanho e que podem provocar dor com o passar do tempo. Sintomas como febre, perda de peso ou falta de apetite são raros.

“Um exame físico já aumenta a suspeita do diagnóstico. Muitas vezes, o único sintoma é um incômodo local com um caroço em crescimento”, complementa Waldec.

Já nos sarcomas que atingem os ossos, a dor é o principal sintoma. É possível descrever como uma dor que vai e volta e fica sempre pior no período noturno. A localização dessa dor costuma ser no osso da coxa (fêmur), um dos ossos mais longos do corpo humano.

Como tratar sarcomas? Para os sarcomas de baixo grau e que se desenvolvem mais lentamente, a base do tratamento é cirúrgica, além da radioterapia para minimizar a recorrência do tumor.

“Tumores de alto grau e de crescimento e que se espalham rápido são mais sensíveis à quimioterapia. É por isso que a escolha do tratamento em si vai depender do sarcoma que estamos tratando e do seu grau de estadiamento”, diz o oncologista.

Diagnóstico precoce Diferentemente dos tumores de próstata e mama, em que é possível a partir de certa idade fazer exames específicos a fim de identificar a doença mais precocemente, no caso dos sarcomas não há exames do gênero. Entretanto, é importante ficar atento a questões de hereditariedade.

“Para os sarcomas não há nenhum padrão de rastreamento, exceto nas situações em que há uma predisposição estabelecida. Pelo histórico familiar é possível notar quando há alguma alteração genética. Existem famílias com três, quatro casos, por isso é importante investigar, pois alterações genéticas herdadas, como a síndrome de Li-Fraumeni, podem ser responsáveis por elevar o risco de desenvolvimento desse tipo de câncer”, elucida Waldec.

Data: 01/09/2022 Fonte: Parana Centro

Você tem várias formas de agendar consultas e exames:

Envie uma mensagem para:

WhatsApp

Agende sua consulta ou exame:

Agende online
QR Code Agende sua consulta ou exame

Agende pelo app meu oswaldo cruz

App Meu Oswaldo Cruz disponível no Google Play App Meu Oswaldo Cruz disponível na App Store