Relatório de 
Sustentabilidade 2016

Confira os principais destaques financeiros e socioambientais do Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Boas-vindas

Como parte do compromisso da Instituição com seus públicos e com a transparência quanto às suas atividades, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz lança seu primeiro Relatório de Sustentabilidade.

Com base nas diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI), esta edição se refere ao ano de 2016 e apresenta indicadores e destaques sociais, econômicos e ambientais ligados ao Hospital. Foram priorizados os assuntos identificados como relevantes na perspectiva dos públicos de relacionamento da Instituição – como pacientes, colaboradores, corpo clínico e parceiros de negócios.

Além deste documento, o Relatório de Sustentabilidade conta com uma versão digital e uma completa, sintetizando os principais destaques do ano.

Boa leitura!



Mensagem do Superintendente Executivo,
Paulo Vasconcellos Bastian




Posicionamento e Direcionadores

Atento às oportunidades e aos desafios que abrangem o setor de saúde brasileiro, o Hospital aposta em indicadores e projetos-chave para seu futuro

Nosso foco: Hospital de alta complexidade com ênfase em oncologia e doenças digestivas.

O Hospital Alemão Oswaldo Cruz trabalhou ao longo de 2015 e 2016 no desenvolvimento de seu Planejamento Estratégico, que abarca o período 2016-2020.

Combinando a análise dos cenários legal, econômico, social e político ligados ao setor de saúde e um amplo processo de consulta, que abrangeu colaboradores, executivos, pacientes do Hospital e de concorrentes, médicos, especialistas do setor, representantes do poder público e operadoras de planos, o processo resultou na definição de um posicionamento com oito direcionadores:

  • Fortalecimento da Marca;
  • Expansão e Capilaridade;
  • Desenvolvimento Humano;
  • Eficiência Operacional;
  • Relacionamento com Médicos;
  • Relacionamento com Operadoras;
  • Responsabilidade Social; e
  • Educação e Pesquisa.

Fortalecimento da marca

Aumento nos investimentos em marca e comunicação, colocando o posicionamento da organização em evidência e com forte presença digital, para impactar atuais e novos pacientes.

Expansão e capilaridade

Crescimento orgânico e inorgânico incluindo novos leitos, abertura de unidades avançadas e especializadas e novas parcerias.

Desenvolvimento humano

Constante investimento no bem-estar, capacitação e aprimoramento técnico das pessoas, fomentando o protagonismo para a mudança e uma cultura mais colaborativa.

Eficiência operacional

Foco na entrega de uma experiência única para o paciente e seus acompanhantes, otimizando processos internos, aprimorando a infraestrutura do Hospital e promovendo a inovação digital.

Relacionamento com médicos

Evolução contínua do relacionamento com o corpo clínico, para seguir atraindo, retendo e fidelizando médicos por meio de estrutura e recursos de excelência para o exercício da medicina.

Relacionamento com operadoras

Aprimoramento do modelo de relacionamento com as operadoras, visando crescimento e rentabilidade para ambas as partes.

Responsabilidade social

Contribuição para o avanço sistêmico da saúde no Brasil, por meio de parcerias de valor compartilhado para gestão de instituições públicas agregando excelência ao sistema público de saúde do país.

Educação e pesquisa

Foco na geração e compartilhamento de conhecimento, capacitando e retendo talentos, fortalecendo a reputação da marca e impulsionando a nova visão estratégica.

PROJETOS DE DESTAQUE

UNIDADE REFERENCIADA VERGUEIRO

Em 2016, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz fechou contrato de locação com a Fundação Zerrenner para operar a estrutura do antigo Hospital Santa Helena, na Rua Vergueiro, região central de São Paulo.

Com localização próxima ao Complexo Hospitalar, a nova unidade começará a funcionar no primeiro semestre de 2017 e receberá R$ 140 milhões em investimentos até o final do ano, atuando como hospital especializado em média e alta complexidade, com um modelo de negócio inovador, focado em oferecer para o paciente a melhor experiência e resultado em saúde.

Quando estiver em plena operação, a Unidade Referenciada Vergueiro deverá alcançar faturamento de R$ 350 milhões anuais e responder por cerca de 30% do faturamento da Instituição.

ORGANIZAÇÃO SOCIAL EM SANTOS

O Hospital Alemão Oswaldo Cruz criou o Instituto Social Hospital Alemão Oswaldo Cruz para ampliar as suas atividades de Responsabilidade Social.

No segundo semestre de 2016, o Instituto Social Hospital Alemão Oswaldo Cruz venceu o chamamento público da Prefeitura Municipal de Santos, litoral sul de São Paulo, para administrar o Complexo Hospitalar dos Estivadores por um período de cinco anos.

Com foco em atendimentos de média complexidade, este hospital realizará atendimentos encaminhados pela regulação municipal de saúde nas áreas materno-infantil, cirúrgica e de atendimento clínico e cirúrgico.

No primeiro ano de contrato, o poder público deverá repassar R$ 68 milhões para o Instituto Social gerir o Complexo Hospitalar dos Estivadores, com implantação em três fases. Na primeira fase, funcionarão o Pronto Atendimento Obstétrico; o Centro Obstétrico, com uma sala de cesárea e três de PPP – Pré-parto, Parto e Pós-parto –; o alojamento conjunto; e a UTI neonatal. Já na segunda, o escopo de atendimento será estendido para as áreas de clínica médica, clínica cirúrgica e UTI adulto, além da ampliação da capacidade da maternidade.

Por último, o Complexo Hospitalar dos Estivadores terá sua capacidade ampliada por meio das áreas como alojamento conjunto, UTI neonatal, centro obstétrico com cinco salas de PPP e duas salas de cesárea, clínica médica/ cirúrgica e UTI adulto com praticamente o dobro de leitos. A conclusão desta implantação está prevista para o final do segundo semestre de 2017.

A Instituição

120 anos de experiência no cuidado e na excelência em prática médica fazem do Hospital Alemão Oswaldo Cruz um dos principais centros hospitalares da América Latina

Fundado no final do século XIX por um grupo de imigrantes de língua alemã, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz é, hoje, um dos maiores centros hospitalares da América Latina, com ênfase em Oncologia e Doenças Digestivas.

Prestes a completar 120 anos de história em 2017, conta com uma força de trabalho de 4 mil colaboradores, considerando a capacidade instalada total das unidades, e um corpo clínico credenciado com 3.732 médicos ativos.

As unidades da Instituição são o Complexo Hospitalar na região da Avenida Paulista, a Unidade Campo Belo, a Unidade de Sustentabilidade Mooca e a futura Unidade Referenciada Vergueiro.

4.000
COLABORADORES

CONSIDERANDO A CAPACIDADE INSTALADA TOTAL DAS UNIDADES

R$ 694,7 milhões

RECEITA LÍQUIDA

R$ 80,2 milhões

SUPERÁVIT OPERACIONAL

R$ 69,6 milhões

INVESTIMENTOS DO ANO

+ de 2 mil

COLABORADORES TREINADOS EM RELAÇÃO AOS TEMAS DE ÉTICA COMPORTAMENTAL E LEI ANTICORRUPÇÃO EM 2016

805 leitos

CONSIDERANDO A CAPACIDADE INSTALADA TOTAL DAS UNIDADES

COMPLEXO HOSPITALAR

Torre A

Centro de Diagnóstico por Imagem, Centro de Oncologia, Centro de Ortopedia, Pronto Atendimento Ortopédico, Centro de Nefrologia e Diálise, Ambulatório de Especialidades, Neurofisiologia Clínica, Cardiologia e Clínica Médica

Torre B

Centro Cirúrgico, Centro de Intervenção Cardiovascular, Unidades de Internação, Cardiologia não Invasiva, Day Clinic, Endoscopia e Colonoscopia, Centro de Especialidades e Check-up

Torre C

Pronto Atendimento

Torre D

Instituto de Educação e Ciências em Saúde (IECS), Faculdade de Educação em Ciências da Saúde (FECS), Escola Técnica de Educação em Saúde (ETES), Instituto da Próstata e Doenças Urinárias, Centro de Atenção à Saúde e Segurança do Colaborador (CASSC), Unidade de Onco-Hematologia, restaurante para os colaboradores (Restaurante Quintal) e área de lazer e convivência

Torre E

Internação, UTI, Centro Cirúrgico e Apartamentos Premium

Precisão para tratar

Investimentos em modernização, qualidade dos processos e boas práticas no relacionamento médico são algumas frentes estratégicas do Hospital

A Precisão para Tratar é um dos reflexos da trajetória do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, abrangendo o investimento em infraestrutura e tecnologia, a garantia da segurança do paciente e o relacionamento com o corpo clínico credenciado.

SAÚDE EM MOVIMENTO

Uma síntese dos indicadores de atendimento do Hospital* durante o ano

INDICADORES POR ÁREA - EM 2016

UTI3.287 pessoas atendidas na UTI3,7 dias de média de permanência85,7% de média de ocupação
PRONTO ATENDIMENTO77.516 atendimentos realizados no Pronto Atendimento
CENTRO DE ONCOLOGIA57,6% de crescimento na receita do centro de oncologia em 2016
DOENÇAS DIGESTIVAS12.618 endoscopias realizadas na Unidade Campo Belo e no Complexo Hospitalar9.848 colonoscopias realizadas na Unidade Campo Belo e no Complexo Hospitalar
UNIDADE CAMPO BELO1.886 check-ups executados na Unidade Campo Belo, com mais de 20 tipos e critérios de avaliação1.876 consultas clínicas
CENTRO DE CIRURGIA ROBÓTICA1.700 procedimentos foram realizados desde a inauguração do centro em 2008
CENTRO DE OBESIDADE E DIABETES294 cirurgias realizadas no centro

RELACIONAMENTO MÉDICO

Responsável por encaminhar pacientes, atender usuários da Instituição e executar procedimentos em suas instalações, o corpo clínico do Hospital Alemão Oswaldo Cruz é composto por 3.732 médicos ativos, ou seja, que realizaram alguma atividade dentro do Hospital no último ano.

3.732

MÉDICOS ATIVOS

Por meio da área de Relacionamento Médico, algumas iniciativas são desenvolvidas pensando na construção de relações de confiança com os profissionais:

Programa de Gestão do Corpo Clínico

Articula a avaliação documental e cadastral dos médicos, acompanhamento, treinamentos e a atuação do profissional dentro da Instituição. Em 2016, houve aumento das interações com a Comissão de Credenciamento Médico e com a Diretoria Clínica, com reuniões periódicas para melhorar a aprovação de cadastros e discutir a entrada de novos profissionais no corpo clínico.

Programa de Avaliação de Desempenho do Corpo Clínico

A iniciativa busca sistematizar os registros de performance médica do Hospital, com base em um conjunto de indicadores nos aspectos de assistência (produtividade); qualidade e segurança (prescrição, preenchimento de prontuários, infecções e complicações em procedimentos cirúrgicos etc.); e ensino e pesquisa (titulação, participação em eventos científicos e publicações). Em 2016, foram 3.732 médicos avaliados. No ano, houve evolução no número de indicadores, saltando de 44 em 2015 para 51 ao fim do período; além disso, foi desenvolvida uma plataforma informatizada no Portal Médico, na qual o profissional poderá monitorar seu desempenho e compará-lo, com sigilo, às médias de sua especialidade. A ferramenta deve ser finalizada em 2017.

Ouvidoria Médica

O setor é estruturado no Hospital para o registro de manifestações, queixas, elogios e demais comentários do corpo clínico sobre a Instituição e, também, dos pacientes e colaboradores, que podem analisar a conduta dos médicos. Casos avaliados como críticos – como denúncias relacionadas a ética e conduta – são encaminhados às superintendências e aos comitês responsáveis.

Programa de Desenvolvimento Médico

A partir de um sistema de meritocracia e oferta de benefícios e incentivos financeiros, a iniciativa alcançou, em seu terceiro ano, mais de 1.700 médicos. São adotados os pilares de Ensino e Pesquisa, Assistência e Qualidade e Segurança da Prática Médica, com critérios como volume de publicações, indicadores de qualidade e aspectos comportamentais. Os critérios adotados são os mesmos da avaliação de desempenho.

QUALIDADE E SEGURANÇA DO PACIENTE

Treinamentos, monitoramento de indicadores, adoção de protocolos internacionalmente reconhecidos e campanhas de engajamento do corpo clínico e assistencial são algumas das medidas adotadas.

No total, cerca de 130 indicadores de processos da Instituição são monitorados, abrangendo tempo médio de permanência do paciente, agilidade de resposta a urgências e emergências e acurácia na prescrição médica, além do controle de infecções e do preenchimento adequado de prontuários.

130

INDICADORES DE PROCESSOS MONITORADOS PELO HOSPITAL

RECONHECIMENTO DE EXCELÊNCIA

Desde 2009, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz possui a acreditação da Joint Commission International (JCI), principal selo internacional de qualidade em saúde. A terceira certificação ocorreu no final de 2015.

Na última avaliação do Hospital, foi obtido percentual de conformidade próximo a 99%, A análise considera cinco requisitos e mais de 1.200 itens.

INDICADORES DE DESTAQUE EM 2016*

0,78%
TAXA BRUTA DE INFECÇÃO HOSPITALAR

O que mede: aponta a frequência de registros de infecção hospitalar em pacientes submetidos a internação e/ou procedimentos cirúrgicos no Hospital

0,42
POR 100 CATETERES-MÊS É A TAXA DE INFECÇÃO DE CATETER PERMANENTE EM DIÁLISE

O que mede: ocorrência de infecções relacionadas ao uso de cateter permanente em pacientes do Centro de Nefrologia e Diálise
Destaque: a taxa é melhor que a média de hospitais norte-americanos

77%
ADESÃO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE AO PROTOCOLO DE HIGIENE DAS MÃOS

O que mede: percentual do corpo clínico que adere ao protocolo, que reduz riscos de infecções hospitalares. A proporção de adesão à higiene das mãos, por parte dos profissionais de saúde, está entre 1.900 oportunidades observadas

* Do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH).

Vocação para cuidar

Reflexo da trajetória de 120 anos do Hospital, práticas voltadas ao cuidado reforçam a experiência do paciente e fortalecem a reputação do negócio

O ano de 2016 foi de consolidação para o Modelo Assistencial Hospital Alemão Oswaldo Cruz. O Hospital é o único a deter um modelo assistencial próprio, baseado nos pilares de comunicação; gerenciamento; educação do paciente; qualidade e segurança; e desenvolvimento profissional e pessoal.

Modelo Assistencial Hospital Alemão Oswaldo Cruz®

ÍNDICE DE SATISFAÇÃO

Desde 2014, o Hospital tem atingido sistematicamente suas metas de satisfação dos pacientes – calculadas até 2016 em um indicador próprio, mediante o preenchimento de formulários nos diversos centros, áreas e unidades. Em 2016, a meta era alcançar 97% de satisfação dos pacientes; o resultado aferido ao fim do ano foi de 98%.

98%

de satisfação dos pacientes

BENEFÍCIOS AOS PACIENTES

  • Serviço Premium – disponível em 20 apartamentos da Torre E, com diversos itens de comodidade e bem-estar, como agentes de relacionamento para interface com médicos, sistema automatizado para acionamento de aparelhos, área de quartos expandida e concierge;
  • Automação do Almoxarifado – projeto com previsão de início em 2017, que fomentará processos automatizados para fazer a distribuição e o controle do estoque de medicamentos da Instituição. Cerca de R$ 7 milhões foram investidos no projeto em 2016, de um total de R$ 20 milhões previstos até sua conclusão;
  • Pós-alta – criação de um protocolo de acompanhamento de pacientes de determinado perfil clínico no pós-alta, para verificar seu bem-estar e sua adaptação no retorno à casa;
  • Readequações de espaço no Pronto Atendimento, criando um novo ambiente de acolhimento e reduzindo o tempo de espera;
  • Flexibilização da presença de acompanhantes na UTI ao longo de todo o dia, inclusive estimulando-os a acompanhar procedimentos assistenciais;
  • A aplicação do conceito de Referência do Cuidado, designando um mesmo profissional para o cuidado do paciente no Centro de Endoscopia e no ambulatório da Oncologia.

DESENVOLVIMENTO HUMANO

Três bases orientam a gestão do capital humano: cultura organizacional, desenvolvimento de pessoas e aprimoramento da experiência do paciente.

Em linha com seus planos de expansão, o Complexo Hospitalar, localizado na região da Avenida Paulista, fechou o ano de 2016 com aumento de 6,79% no seu quadro funcional – que inclui profissionais de saúde, como enfermeiros, fisioterapeutas, farmacêuticos e médicos, entre outros, e colaboradores das áreas de suporte. Em 2017, com a entrada em operação plena do Complexo Hospitalar dos Estivadores, em Santos (SP) e da Unidade Referenciada Vergueiro, a Instituição deverá ter um aumento significativo de seu público interno, aproximando-se da marca de 4 mil colaboradores.

3.082

horas de treinamento no centro de simulação

270

bolsas de estudo concedidas para cursos livres, técnicos, de graduação, especialização e de idiomas

CAPACITAÇÃO

48,9
horas

de treinamento por colaborador

R$ 2,1
milhões

de investimento total em educação e formação

EDUCAÇÃO E PESQUISA

Com sede no Complexo Hospitalar da região da Avenida Paulista, três unidades dedicam-se ao pilar de Educação e Pesquisa: o Instituto de Educação e Ciências em Saúde (IECS); a Escola Técnica de Educação em Saúde (ETES); e a Faculdade de Educação em Ciências da Saúde (FECS), reconhecida como Instituição de Ensino Superior (IES) pelo Ministério da Educação na Portaria 797, de 11 de setembro de 2014.

Na FECS são oferecidos o curso de Graduação em Tecnologia em Gestão Hospitalar, além de diversas pós-graduações nas áreas da Medicina (cirurgia bariátrica e metabólica; cirurgia robótica em urologia, ecocardiografia, clínica médica e radioterapia de alta tecnologia), além dos cursos de Enfermagem em Terapia Intensiva, Enfermagem em Oncologia, Enfermagem em Centro Cirúrgico e Central de Material Esterilizado, Nutrição Hospitalar, Fisioterapia Hospitalar, Psicologia Hospitalar com ênfase em Terapia Cognitiva, Pesquisa Clínica e Gerontologia.

Para a realização do MBA, são oferecidos cursos de Administração Hospitalar e Gestão em Saúde; de Qualidade em Saúde; Gestão e Acreditação - desenvolvido em parceria com o Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA) -; e de Economia e Avaliação de Tecnologias em Saúde. Este último é fruto de parceria entre a FECS e a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

ETES

13

turmas em cursos de técnico de enfermagem

2

novos cursos pós-técnicos previstos para 2017: Gerontologia e Terapia Intensiva

IECS

5

novos protocolos de pesquisa aprovados em 2016

3

em fase de aprovação

FECS

2

turmas de graduação em Tecnologia em Gestão Hospitalar em andamento

5

foi a nota atribuída pelo MEC ao curso de graduação em Enfermagem, com abertura prevista para 2017

Responsabilidade Social

Parcerias com o poder público e projetos de capacitação reforçam a contribuição do Hospital Alemão Oswaldo Cruz para a evolução da saúde pública e privada no Brasil

O pilar Responsabilidade Social do Hospital Alemão Oswaldo Cruz tem ganhado relevância na estratégia de longo prazo e vem se consolidando como área-chave para posicionar a Instituição como capaz de dar impulso à inovação e contribuir para o avanço sistêmico da saúde brasileira. Além de ações de apoio e assistência à comunidade, o Hospital mantém projetos estruturados em convênio com o Governo Federal e prefeituras.

PROADI-SUS

Desde 2008, a Instituição é um dos seis hospitais de excelência vinculados ao Proadi-SUS, programa de referência internacional do Ministério da Saúde que busca fortalecer o Sistema Único de Saúde, com apoio de instituições hospitalares filantrópicas.

Atualmente, está em vigor o triênio 2015-2017, para o qual são previstos recursos da ordem de R$ 161 milhões, aplicáveis nos projetos em parceria com o Ministério da Saúde. Em 2016, 16 projetos foram iniciados, três concluídos e outros dois estavam em fase de apreciação do Ministério da Saúde.

Somente entre 2015 e 2016, foram R$ 91,1 milhões investidos pela Instituição nas ações do Proadi-SUS.

Projetos Proadi-SUS - triênio 2015-2017

  • Projeto de Desenvolvimento de Avaliação de Tecnologias em Saúde – DATS
  • Gestão para Educação Permanente dos Profissionais da Rede Atenção às Urgências
  • Gestão de Equipamentos
  • Capacitação, comunicação e desenvolvimento em PCDT e Monitoramento de Horizonte Tecnológico
  • Capacitação e Formação em Pesquisa Clínica
  • Programa de Capacitação em Preceptoria de Residência Médica
  • Projeto Assistencial
  • Reestruturação de Hospitais Públicos
  • Programa SOS Emergências
  • Projeto Mapa da Saúde (finalizado em 2015)
  • Projeto Telemedicina para o Acidente Vascular Cerebral (finalizado em 2015)
  • Projeto Ventilação Mecânica Invasiva no Domicílio
  • Projeto Complexidade do Cuidado na Atenção Domiciliar
  • Projeto Qualificação da Gestão das Ações Estratégicas de Vigilância Sanitária no Sistema Nacional de Vigilância Sanitária - SNVS - IntegraVISA
  • Projeto Apropriação, Implementação e Governança de Terminologias Clínicas (CENTERMS)
  • Projeto Elaboração de Indicadores para Avaliação das Ações de Vigilância Sanitária

UNIDADE DE SUSTENTABILIDADE MOOCA

A unidade sedia projetos de responsabilidade social, incluindo ações como o Serviço de Referência para Diagnóstico de Câncer de Mama (SDM). Em 2016, foram realizados 21.525 atendimentos com participação da equipe multidisciplinar (mastologia, enfermagem, nutrição, psicologia e serviço social), 21.282 exames diagnósticos (biópsias percutâneas) e 23 procedimentos complementares.

RESULTADOS EM 2016 DA UNIDADE DE SUSTENTABILIDADE MOOCA

939

DENSITOMETRIAS ÓSSEAS

1.026

TOMOGRAFIAS COMPUTADORIZADAS

1.670

COLONOSCOPIAS

200

CIRURGIAS, INCLUINDO:

118

CIRURGIAS BARIÁTRICAS

30

CIRURGIAS DIGESTIVAS

32

ARTROSCOPIAS DE QUADRIL

20

CIRURGIAS UROLÓGICAS

GESTÃO AMBIENTAL

O Hospital Alemão Oswaldo Cruz busca aprimorar sua eficiência ambiental desde os processos construtivos até a execução de atividades.

Um dos destaques recentes foi a adoção de práticas de uso racional de recursos naturais na construção da Torre E do Complexo Hospitalar, localizado na região da Avenida Paulista, rendendo a ela a certificação Leadership in Energy and Environmental Design (LEED) for New Constructions.

A Torre E, que abriga os serviços de internação, UTI e serviço Premium, foi projetada a partir de diversos requisitos de eficiência, como o sistema solar de aquecimento de água, a aplicação de água de reúso coletadas das chuvas e de minas no subsolo para banheiros e jardins, a arquitetura direcionada para maior captação de luz solar, a climatização de alta eficiência e, no estacionamento, a presença de bicicletários e vagas adaptadas para veículos de baixa emissão e baixo consumo energético (como os híbridos).

Ficha Técnica

Ficha Técnica

DIREÇÃO
Paulo Vasconcellos Bastian
Superintendente Executivo

COORDENAÇÃO GERAL
Melina Beatriz Gubser
Gerente de Marketing e Comunicação

SUPERVISÃO
Claudete Cardenette Jensen
Supervisora de Marketing e Comunicação

COORDENAÇÃO EDITORIAL
Michelle Barreto
Analista de Marketing
Rafael Peciauskas
Analista de Comunicação Institucional

APOIO DE PRODUÇÃO
Debora Guedes Fernandes Soares
Analista de Marketing

PROJETO GRÁFICO E EDITORIAL
Report Sustentabilidade

FOTOS
Lalo de Almeida
Roberto Assem
Zé Gabriel
Imagens do acervo do Hospital



Complexo Hospitalar
Rua Treze de Maio, 1.815
Bela Vista - CEP 01323-903
São Paulo-SP
Tel.: (11) 3549-0000

Unidade Campo Belo
Av. Vereador José Diniz, 3.457 – Sobreloja
Campo Belo - CEP 04616-003
São Paulo-SP
Tel.: (11) 2344-2700

Centro de Obesidade e Diabetes
Rua Cincinato Braga, 37 - 5º andar
Bela Vista - CEP 01333-011
São Paulo-SP
Tel.: (11) 3549-0401

www.hospitalalemao.org.br

/hospitalalemaooswaldocruz

>>
<<