Pés Diabéticos

​Você sabia que os pacientes diabéticos precisam dar atenção especial aos seus pés? Problemas nas pernas e pés são comuns por causa da sensibilidade diminuída na região e pedem cuidados permanentes. Pequenas feridas podem evoluir e, se não tratadas adequadamente, podem levar à necessidade da amputação do membro.

A cirurgiã plástica do Centro Especializado em Obesidade e Diabetes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Dra. Isa Dietrich, responde às perguntas mais frequentes sobre cuidados com os pés dos pacientes diabéticos.
 

O que é a síndrome do pé diabético? 

A síndrome do pé diabético é caracterizada pela presença de úlcera (ferida), decorrente da neuropatia (mau funcionamento dos nervos), podendo estar associada à infecção, diferentes graus de isquemia (redução do fluxo sanguíneo no local) e destruição de tecidos profundos.
 

O que causa essa síndrome?

Uma série de fatores causa a síndrome do pé diabético. O paciente portador de diabetes é mais vulnerável ao surgimento de feridas por ter menos sensibilidade no local, o que contribui para que traumas e cortes não sejam notados imediatamente. O tratamento inadequado da ferida, a falta de controle da glicemia, aliados à diminuição da irrigação sanguínea do local e a predisposição a infecções – comuns nos diabéticos – contribuem para que o quadro se agrave levando muitas vezes à amputação.

As úlceras costumam atingir 15% dos diabéticos.
 

Como prevenir o aparecimento da síndrome do pé diabético? 

É muito importante que o paciente faça um exame diário nos pés. Ao menor sinal de rachaduras, frieiras, calos, cortes, feridas ou deformidades dos dedos e planta do pé deve procurar um médico especializado.

Aqueles que têm dificuldades de fazer o autoexame podem utilizar um espelho para auxiliar na inspeção ou pedir a ajuda de um parente, cuidador ou enfermeiro.

Além disso, é obrigatório que os pés dos diabéticos passem por uma avaliação médica anual, mesmo que não haja nenhuma alteração visível.
 

Além do exame diário, quais outros cuidados o paciente deve ter?

Além do exame diário, o paciente deve procurar manter os níveis glicêmicos sob controle, não andar descalço inclusive em praias ou piscinas, lavar os pés com água morna para evitar queimaduras com a água muito quente, manter a pele hidratada (sem passar creme entre os dedos ou ao redor das unhas), cortar as unhas dos pés em podólogos, usar meias de algodão ou lã sem costuras e utilizar calçados adequados.
 

Quais são os calçados indicados para os diabéticos? 

  • A recomendação é que os pacientes utilizem calçados fechados, macios, confortáveis e com solados que ofereçam firmeza ao caminhar.
  • Evitar os sapatos apertados, com pontas finas, duros, de plástico ou couro sintético, saltos altos e sandálias que deixam os pés desprotegidos.

 
Conheça o Centro Especializado em Obesidade e Diabetes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz

O Centro Especializado em Obesidade e Diabetes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz conta com um ambulatório especializado com profissionais qualificados e dedicados ao tratamento do diabetes e suas complicações. Composto por uma equipe multidisciplinar que inclui, entre outros, endocrinologistas, cirurgiões especializados em cirurgia bariátrica, cirurgiões plásticos, cirurgiões vasculares, ortopedistas e enfermeiros, o Centro dá especial atenção à prevenção das feridas dos pés e faz testes que identificam as alterações neuropáticas dos pés, como a diminuição da sensibilidade, orientando os pacientes para os cuidados diários que podem prevenir amputações futuras.

Voltar