Um hospital seguro para você, sempre foi a nossa escolha

O cuidado com a saúde não pode esperar

Não se automedique

Não se automedique. Você pode mascarar sintomas ou tomar medicamentos que em conjunto e sem prescrição médica podem trazer complicações à sua saúde;

Cuidado febre alta

Cuidado com uma febre alta ou não, com ou sem causa definida. Por ex.: cólica renal com febre é emergência médica;

Febre

Febre, com calafrios ou não, alta ou baixa, com ou sem causa aparente, pode ser causada por algum problema mais grave;

Pequenas quedas

Pequenas quedas podem provocar fraturas graves, especialmente em idosos. Por isso ao sentir dor no local ou inchaço é importante buscar auxílio médico;

Não adie

Não adie, sem a recomendação do seu médico, exames como uma endoscopia ou colonoscopia;

Fazer controles

Nunca deixe de fazer seus controles, sobretudo, se faz uso de medicação imunossupressora ou de outros medicamentos de uso prolongado. O diagnóstico precoce do câncer é fundamental para o sucesso do tratamento;

Acidente Vascular

A rapidez no atendimento de um acidente vascular cerebral (derrame) pode prevenir sequelas e em caso de infarto pode salvar o músculo cardíaco. Se você já tem algum tipo de doença no coração fique atento para a piora dos sintomas, como acentuação da falta de ar, inchaço, palpitações persistentes que significam alteração do ritmo cardíaco. Dor intensa no peito, ombro, braço ou queixo, que o faz suar pode ser infarto que se tratado precocemente pode evitar danos ao músculo cardíaco;

Perca da consciência

A perda da consciência ou tontura intensa, podem significar problemas neurológicos ou cardíacos;

Controles Ontológicos

Controles oncológicos não devem ser adiados. Mantenha seu tratamento oncológico e siga rigorosamente a orientação do seu oncologista;

Diabetes

O diabetes deve ser controlado. Se você tem apresentado crises frequentes de hipoglicemia ou têm mostrado níveis glicêmicos mais elevados do que o habitual, não se automedique e procure seu médico;

Dor ao urinar

Dor ao urinar ou febre, associadas com dor abdominal atípica no pós-cirúrgico ginecológico são sinais importantes;

Dor abdominal

Dor abdominal, sobretudo, se for intensa, associada à febre, vômitos e diarreia com sangue, pode ser causada por uma série de problemas importantes;

Dor abdominal persistente

Dor abdominal persistente, que não melhora com analgésicos, com piora progressiva, com distensão progressiva pode indicar necessidade de avaliação de um cirurgião;

Dor na região lombar, intensa

Dor na região lombar, intensa, com formigamento na perna, perda de força muscular e/ou perda de sensibilidade no períneo;

Dor na região lombar em cólica

Dor na região lombar em cólica e intensa pode ser um cálculo renal;

Dor no pescoço intensa

Dor no pescoço intensa com irradiação para o braço com perda de força e /ou sensibilidade no braço do mesmo lado;

Dor súbita e inchaço nas pernas

Dor súbita e inchaço nas pernas pode indicar uma trombose venosa;

Dor forte

Dor forte na perna com diminuição de temperatura, fraqueza e escurecimento na perna;

Tosse

Tosse com expectoração com sangue e gânglios no pescoço precisam ser investigados;

Sangramento anal

O sangramento anal pode ser ocasionado pelas hemorróidas, mas também pode ter outro tipo de causa. O seu médico lhe indicará os exames adequados a serem realizados;

Crise

Crise convulsiva em adulto pela primeira vez;

Falta de ar

Falta de ar com chiado que não melhora com os medicamentos habituais, inclusive com spray de broncodilatadores (salbutamol, fenoterol e outros);

Alteração da consciência

Alteração de consciência súbita em idosos, com agitação;

Dor de cabça

Dor de cabeça súbita, de forte intensidade sem ter apresentado esse sintoma anteriormente;

Ingestão

Ingestão de corpo estranho.