UNIDAS participa do lançamento do projeto Cuidado Integral à Saúde, da ANS

O gerente executivo da UNIDAS, Leandro Araujo, representou a instituição e as autogestões no lançamento do projeto Cuidado Integral à Saúde, da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), realizado na última terça-feira (11), em São Paulo. A iniciativa tem como objetivo induzir a qualidade na assistência à saúde prestada em todo o setor e, consequentemente, apoiar as operadoras a se estruturarem para, no futuro, buscarem certificações.

Durante o encontro, o executivo da UNIDAS registrou a importância da mudança do modelo de atenção à saúde, para gerar um cuidado integral, coordenado e organizado. “Essas iniciativas resultam em benefícios diretos para os clientes das nossas filiadas, por meio da melhoria dos resultados assistencial, com menores custos, e ainda com impacto direto na redução das judicializações”, comentou.

Há duas vertentes de trabalho no Programa de Certificação em APS: certificação de boas práticas e projetos-pilotos. Para viabilizar a programa, a Agência assinou um acordo de cooperação com o Institute for Healthcare Improvement (IHI), o Hospital Alemão Oswaldo Cruz (HAOC) e a Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC).

Leandro também explicou que a UNIDAS já possui soluções para apoiar suas filiadas. Uma delas é a UniShare, plataforma de compartilhamento de serviços, na qual uma das categorias é modelos de atenção à saúde APS.

Os projetos-piloto são uma das modalidades do Programa de APS, que foi concebido ainda com outra modalidade: a Certificação de Boas Práticas em APS, por meio de entidades acreditadoras reconhecidas pela ANS. Os projetos-piloto são organizados com operadoras voluntárias, ainda não estruturadas para a certificação, mas que desejam trabalhar o modelo de Atenção Primária à Saúde. Dessa forma, representam uma etapa preparatória para que as operadoras se capacitem para a implantação da Certificação de Boas Práticas em APS.

Nas próximas semanas, a ANS divulgará regras para que as operadoras possam inscrever seus projetos-pilotos no Projeto Cuidado Integral. Em princípio, serão selecionadas entre 10 e 15 operadoras.

Data: 13/02/2020
Fonte: UNIDAS - AUTOGESTÃO EM SAÚDE/SÃO PAULO