Tomar remédio sem água dá problema? Veja mitos e verdades

Ingerir medicamentos com determinadas bebidas ou misturar com outros remédios pode interferir nos efeitos medicamentosos e efeitos colaterais

Tomar comprimido sem água pode causar algum problema? De acordo com o clínico geral Américo Cuvello, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, sim. Os comprimidos devem ser tomados com água para facilitar sua ingestão, impedindo que grudem no esôfago e causem desconforto, podendo gerar uma inflamação, que causaria queimação na garganta, dor no peito e sensação de falta de ar. Cuvello afirma que, se o comprimido fica muito tempo em contato com a parede do esôfago, pode surgir uma ferida no local, com sangramento e de difícil diagnóstico

Posso tomar remédio com outras bebidas, como refrigerante, café ou leite? Cuvello afirma que o mais indicado para a ingestão de medicamentos é a água, pois alguns medicamentos podem ter reações químicas quando tomados com sucos, leite, refrigerantes, chás ou café, comprometendo a eficácia do tratamento

Anticoncepcional interfere no uso de alguns medicamentos? Cuvello afirma que, de maneira geral, não existem restrições na mistura de remédios e anticoncepcionais. Entretanto, é preciso se atentar a algumas combinações que podem reduzir a eficácia de alguns medicamentos ou do anticoncepcional. Tratamentos para micoses de unha, tuberculose, convulsões e candidíase podem diminuir a eficácia do anticoncepcional. Já o anticoncepcional pode diminuir a eficácia da aspirina, ansiolíticos, da cafeína, dos corticoides e de alguns antidepressivos

Posso tomar remédios com bebidas alcoólicas? Não. Cuvello explica que a mistura de álcool e medicamentos alcoólicas pode aumentar ou diminuir o efeito do remédio, alterar o metabolismo e produzir substâncias tóxicas ao organismo. Entre os medicamentos que apresentam maior risco à mistura com álcool estão os antibióticos, antidepressivos, a insulina, ansiolíticos e os anticoagulantes. Tomas medicamentos com bebidas alcoólicas pode também causar efeitos secundários, como sonolência, dores de cabeça, náuseas e vômitos

Posso tomar vários remédios para tratamentos diferentes juntos? O clínico afirma que não há problemas em ingerir vários medicamentos juntos, desde que não haja interação medicamentosa, o que pode comprometer a absorção ou potencializar os efeitos de medicamentos

Uso antidepressivos, mas ainda me sinto triste. Posso tomar mais um comprimido? Não. Os antidepressivos são medicamentos que precisam de alguns dias para fazerem efeito, podendo levar de uma semana a 15 dias. A modificação de medicamentos e dosagens deve ser feita com orientação médica

Posso tomar complexos vitamínicos sem receita? Não. Cuvello afirma que os suplementos vitamínicos também são considerados medicamentos e devem ser utilizados com prescrição médica, pois o uso indevido pode ocasionar intoxicações e efeitos colaterais

Comprimidos são mais eficazes que remédios em xarope? Segundo o médico, fórmulas medicamentosas líquidas contém a mesma concentração de medicamentos em comprimidos, cápsulas ou drágeas. Cuvello afirma que as medicações líquidas são opções para pacientes que não conseguem ingerir medicamentos

Posso dissolver o conteúdo de uma cápsula na água? Embora algumas pessoas tenham o costume de abrir cápsulas e dissolvê-las para facilitar a ingestão do remédio entre crianças e idosos, a prática não é recomendada, pois a cápsula foi idealizada para proteger as mucosas da boca e do esôfago, para garantir a eficácia e ação lenta do medicamento. O médico afirma que, em alguns casos, a remoção da cápsula de proteção pode causar dores no tórax, vômitos e inflamações no esôfago

Quais os principais erros que as pessoas cometem ao tomar remédios? O clínico afirma que entre os erros mais comuns estão o esquecimento de alguma dose de medicamentos. Segundo o médico, doses no meio do dia são as mais facilmente esquecidas, e a redução da dose pode levar à falência do tratamento. Outro erro comum é o aumento de dose medicamentosa para ter um efeito mais rápido. Cuvello afirma que as prescrições são feitas conforme o peso do paciente, e aumentar a dose pode acarretar em intoxicações medicamentosas e aumento de efeitos colaterais

Autor: *Estagiária do R7 sob supervisão de Ingrid Alfaya
Data: 26/02/2019
Fonte: R7