RAIO X | Hospital Alemão Oswaldo Cruz

RAIO X

Não é apenas o colesterol alto que apresenta riscos à saúde; o baixo pode causar problemas como Alzheimer, Parkinson e câncer. Entenda sintomas, diagnóstico e tratamento de cada caso.

Equilíbrio na veia

Não é apenas o colesterol alto que apresenta riscos à saúde; o baixo pode causar problemas como Alzheimer, Parkinson e câncer. Entenda sintomas, diagnóstico e tratamento de cada caso

O colesterol é uma gordura importante para o organismo: auxilia na digestão, na produção de hormônios, de vitamina D, na estruturação da membrana das células e na fabricação da bile. Em excesso, todo mundo sabe, pode causar problemas à saúde, como a obstrução das artérias, que leva, quase sempre, a um ataque cardíaco ou AVC. Mas o oposto também apresenta riscos: caso o colesterol esteja abaixo do que é considerado saudável, suas funções podem ficar comprometidas. Conversamos com Dr. Hélio Castello, gestor do Serviço de Hemodinâmica e Intervenções Cardiovasculares do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, sobre diferenças, causas, riscos e tratamentos tanto do colesterol alto quanto do baixo. Confira a seguir.

COLESTEROL ALTO

O que é

É considerado alto o colesterol total igual ou superior a 190mg/dl e/ou quando o colesterol ruim (LDL) está acima de 130 mg/dl e/ou o bom (HDL) está abaixo de 40mg/dl, tanto para homens quanto para mulheres.

Causas

“A elevação dos níveis de colesterol geralmente é causada por herança genética, ou seja, histórico do problema na família, e piorada pelos hábitos alimentares pouco saudáveis”, explica o Dr. Castello. Dietas ricas em açúcar e gorduras saturadas são o primeiro passo para elevar o colesterol. E além da alimentação, o tabagismo, a obesidade, a diabetes, as alterações hormonais e o sedentarismo também podem contribuir para o seu aumento.

Sintomas

O colesterol alto, geralmente, não apresenta sintomas – homens e mulheres de diferentes idades, magros ou gordos podem sofrer com o problema. Por isso é preciso fazer exames de sangue periodicamente para monitorá-lo no organismo. Há casos, quando os níveis estão muito elevados, em que pode ocorrer o surgimento dos chamados xantomas, um tipo de placa amarelada cheia de colesterol que pode aparecer em todo o corpo.

Riscos

O colesterol alto forma placas de gordura na parede das artérias (aterosclerose) do coração e de outras partes do corpo, como cérebro e membros inferiores, levando ao infarto, AVC e demais doenças cardiovasculares.

Tratamento

Geralmente uma mudança nos hábitos de vida pode ajudar a manter o colesterol controlado. O ideal é ter uma dieta rica em frutas, verduras, fibras, peixes, evitando frituras, alimentos industrializados e embutidos, além de praticar atividade física regularmente. Em alguns casos, quando o colesterol não consegue ser controlado com essas medidas, o especialista pode receitar medicamentos.

COLESTEROL BAIXO

O que é

Não há consenso sobre como definir colesterol muito baixo. Para fechar o diagnóstico, o médico avalia o nível do colesterol em conjunto com outras condições clínicas do paciente.

Causas

Segundo o Dr. Castello, os níveis muito baixos, na maioria das vezes, são causados pelo uso de medicamentos, como as estatinas, usadas para diminuir o colesterol. O problema também pode ser causado por problemas como câncer, doenças do fígado, desnutrição e distúrbios hormonais.

Sintomas

O colesterol baixo, assim como o alto, não apresenta sintomas. Em alguns casos, o indivíduo pode mostrar sinais de depressão e ansiedade, mas vale dizer que esses sintomas podem estar relacionados a uma série de condições de saúde, por isso deve-se sempre consultar o médico e fazer exames de sangue regularmente.

Riscos

Os níveis muito baixos aumentam o risco de problemas cerebrais, como perda de memória e Alzheimer, e neuromusculares, como Doença de Parkinson. Como o colesterol também é responsável pela produção das glândulas dos ovários, testículos e suprarrenais, sua diminuição pode levar a desequilíbrios hormonais, como menopausa e síndrome pré-menstrual. Danos ao fígado, incapacidade do organismo de absorver vitaminas, osteoporose, problemas de visão, hipertensão e dificuldade em controlar o nível de açúcar no sangue também podem ocorrer quando o colesterol não está no nível considerado saudável.

Tratamento

Na maioria das vezes, explica o Dr. Castello, o colesterol muito baixo é revertido com a suspensão do medicamento e melhoria na alimentação, nos casos de desnutrição.

Entenda como o colesterol se forma no organismo, desenvolvendo placas de gordura nas artérias e veias

70% DO COLESTEROL É PRODUZIDO PELO CORPO

30% VEM DA ALIMENTAÇÃO (CARNES GORDUROSAS, GEMA DE OVO, EMBUTIDOS, LEITE INTEGRAL)

LIGADO AO FÍGADO: Moléculas de lipoproteínas sintetizadas pelo fígado, chamadas quilomícrons, são responsáveis por levar o colesterol e outros alimentos ingeridos até este órgão, formando as chamadas VLDL (lipoproteínas de muito baixa intensidade), que são cheias de colesterol e proteínas

LIGADO À CORRENTE SANGUÍNEA: No sangue, uma enzima chamada lipase quebra essas moléculas. Dessa reação, surge o LDL (colesterol ruim) e o HDL (colesterol bom), que é responsável por levar o LDL de volta para o fígado para ser eliminado

Quando a quantidade de LDL é muito grande, o HDL não consegue transportá-lo. Isso faz com que esse mau colesterol vá se acumulando na parede das artérias, podendo obstruí-las e causar infarto ou derrame

Para ler essa e outras reportagens da LEVE, acesse a versão digital da revista aqui

Autor: Por Cristina Balerini
Data: 08/08/2018