Pandemia e isolamento social podem ter retardado o diagnóstico precoce do câncer de próstata, estimam especialistas

O alerta é para que os homens não deixem de realizar os exames e não interrompam os tratamentos de câncer durante a pandemia.

Levantamento do Inca (Instituto Nacional do Câncer) estima que cerca de 66 mil novos casos de câncer de próstata sejam registrados no país em 2020, o que significa um risco estimado de 62,95 casos novos a cada 100 mil homens.

Excluindo os tumores de pele não melanoma, o câncer de próstata é o tipo de tumor com maior incidência na população masculina no Brasil e no mundo. Novembro Azul é uma campanha mundial para alertar a sociedade sobre a importância da conscientização da doença, de seu diagnóstico e tratamento precoce.

Realizar check-up anualmente aumenta as chances da detecção precoce de tumores de próstata e impacta diretamente nas chances de cura dos pacientes, que chega a 90%, quando o câncer é descoberto nos estágios iniciais.

No entanto, a chegada da pandemia da Covid-19 e o isolamento social necessário para evitar a propagação do vírus respiratório pode ter retardado o diagnóstico precoce do tipo de câncer mais prevalente na população masculina. Por isso, o coordenador do Centro Especializado em Urologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Dr. Carlo Passerotti, reafirma: “exames de check-up oncológicos são importantes de serem feitos rotineiramente mesmo em tempos de pandemia”.

Retardar ou deixar de realizar exames de check-up anualmente aumenta as chances de detecção da doença em estágio avançado. Dados da Sociedade Brasileira de Urologia mostram que 20% dos tumores de próstata são diagnosticados tardiamente e 25% dos pacientes morre em decorrência da doença.

O Dr. Carlo Passerotti alerta que alguns dos tumores de próstata podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte. A grande maioria, no entanto, se desenvolve lentamente, levando de 10 a 12 para atingir 1 cm³.

Serviço especializado

Os Centros Especializados em Urologia e em Oncologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz está totalmente preparado para receber os pacientes sem Covid-19 com total segurança em tempos de pandemia, e adota todas as medidas sanitárias estabelecidas pelas entidades internacionais de saúde com fluxos rigorosos de atendimento para todos os pacientes, independentemente da patologia.

“Entendemos que vivemos um momento atípico, mas a evolução do câncer não espera o fim da pandemia, é importante que os pacientes sigam com a realização dos exames de rotina e não interrompam seus tratamentos e consultas, evitando que a evolução dos tumores acelere e interfira no sucesso dos desfechos clínicos”, alerta o Dr. Ariel Kann, oncologista do Cento Especializado em Oncologia.

O Centro baseia seu atendimento no mais moderno conceito de abordagem multidisciplinar, adotado pelos melhores centros especializados em oncologia do mundo. As equipes médicas e assistenciais atuam de forma integrada, oferecendo atendimento personalizado às necessidades de cada um de seus pacientes.

Tratamento do câncer de próstata

Cirurgia para extração do tumor de próstata radioterapia, hormonioterapia e quimioterapia, são as opções de tratamento mais eficazes para esse tipo de câncer. O Dr. Ariel Kann reforça que a estratégia terapêutica é definida pelas equipes médicas de acordo com as características dos tumores e das condições clínicas de cada paciente.

Os profissionais do Centro Especializado em Oncologia participam de forma ativa de pesquisas de novas medicações e terapias para garantir o avanço contínuo da ciência oncológica, e a introdução rápida dos mais modernos tratamentos ao alcance dos pacientes.

O Centro Especializado em Oncologia está intensamente envolvido em pesquisas clínicas com protocolos locais e mundiais, e oferece o que há de mais moderno e eficaz em termos de medicina diagnóstica e tratamento oncológico.

Além disso, conta com um Centro de Cirurgia Robótica composto por uma equipe de cirurgiões habilitados e amplamente qualificados para a realização de cirurgias robóticas com o robô Da Vinci SI, que oferece imagens FULL HD com resolução 1.080 pixels e permite que os acessos cirúrgicos sejam realizados apenas com uma incisão e de menor extensão, reduzindo desta forma o tempo de internação e permitindo ao paciente retomar suas atividades mais rapidamente.

A Instituição também tem equipamentos de última geração para o diagnóstico cada vez mais precoce dos tumores prostáticos, como a ressonância magnética de 3 Tesla, aparelho que realiza exames até 25% mais rápida, além de contar com uma melhor resolução de imagens.

O Hospital também disponibiliza biópsia com fusão de imagens, que une a imagem da ressonância com a do ultrassom, e que consegue localizar lesões bem pequenas, de 2-3 mm. Outro teste, mais moderno, é o PET-CT com marcador de PSMA, que auxilia na avaliação sistêmica e possibilita avaliar a localização da doença, ou seja, se o tumor encontra-se localizado somente na próstata.

Data: 18/11/2020
Fonte: ACOPLAN/SÃO PAULO