Oswaldo Cruz une realidades aumentada e virtual para planejamento cirúrgico

O Hospital Alemão Oswaldo Cruz anunciou a criação de um software para unificar o uso das realidades virtual e aumentada, para uso no planejamento pré-operatório, intra e pós-operatório. A utilização das realidades aumentada e virtual tem finalidades diferentes e complementares. Com a realidade aumentada, exames de imagem e ferramentas digitais são sobrepostos em cenários reais, como o campo cirúrgico. Já a realidade virtual permite a experiência de imersão em universo 3D, com o uso de óculos específicos.

O software desenvolvido no Centro de Inovação e Educação em Saúde do hospital funciona nas duas plataformas e cria uma experiência unificada de planejamento e apoio ao cirurgião . Dessa forma, é possível ter acesso digital aos órgãos do paciente, localizar e visualizar lesões, identificar órgãos adjacentes que podem estar afetados, além de verificar qual a melhor abordagem cirúrgica.

A iniciativa conta com a tecnologia de óculos de realidade aumentada, dispositivo que permite a visualização e o manuseio de hologramas sem interferir no campo de visão do cirurgião. A tecnologia é “hands free” (sem uso de controles), sendo comandada por voz e gestos de mãos. Além disso, estão em fase de implantação o uso de Inteligência Artificial e processamento em nuvem, que possibilitam análise em tempo real e maior qualidade nas imagens visualizadas pelos cirurgiões.

De acordo com Kenneth Almeida, diretor-executivo de Inovação, Pesquisa e Educação, o intuito é disponibilizar a solução, no futuro, em escala e garantir ao paciente uma jornada cada vez mais rápida e segura dentro do ambiente hospitalar. “Com a realidade mista integrada ao centro cirúrgico, possibilitaremos à equipe médica realizar o seu planejamento em tempo real, no momento da cirurgia. Isso auxilia o cirurgião a executar melhor o procedimento, trazendo mais segurança para o paciente e contribuindo para a redução de insumos e para a ampliação da capacidade do centro cirúrgico”, explica.

A tecnologia pode ser utilizada em várias áreas médicas, como Cardiologia, Oncologia, Trauma e Ortopedia. “Como consequência de todo o auxílio que a tecnologia promove ao cirurgião, a adoção da realidade mista possibilita, ainda, um melhor desfecho clínico, reduzindo as chances de complicações intra e pós-operatórias, além de diminuir, em média, 30% do tempo de internação hospitalar”, afirma Rafael Otto Schneidewind, cirurgião cardiovascular do hospital.

O médico destaca outros benefícios, como um melhor planejamento pré-operatório, redução do tempo de cirurgia, mais precisão e segurança durante os procedimentos e recuperação pós-operatória mais rápida.

Inovação disruptiva

Com a realidade aumentada, o Centro de Inovação e Educação em Saúde do Hospital poderá recriar digitalmente com mais precisão toda a anatomia do paciente e área a ser tratada, registradas, primeiramente, em exames de tomografia e ressonância magnética. Para desenvolver todas as tecnologias que integram seu novo Núcleo de Planejamento Cirúrgico, o hospital reuniu um time de médicos e cirurgiões, designers de UX, de games e audiovisual, e cientistas de dados.

Com a iniciativa, o Oswaldo Cruz pretende se tornar um polo desenvolvedor de soluções em saúde, tanto com realidade virtual e mista, quanto na criação de aplicativos e softwares de apoio às equipes médicas, assistenciais e aos pacientes. “O Hospital colocou a produção de um software de realidade mista em sua visão estratégica de inovação em saúde, investindo em uma equipe multidisciplinar. Criamos uma tecnologia disruptiva 100% feita em casa”, complementa Kenneth Almeida.

Data: 04/11/2021
Fonte: PPTA SAÚDE/SÃO PAULO