A medicina paulistana avança | Hospital Alemão Oswaldo Cruz

A medicina paulistana avança

Não basta viver mais: também é importante viver bem. Para isso, a medicina é fundamental para garantir não só saúde, mas também qualidade de vida.

Especial Melhor Idade

Seja na prevenção, no diagnóstico ou no tratamento, a cidade desenvolve e importa inovações que garantem qualidade de vida para a terceira idade. Não basta viver mais: também é importante viver bem. Para isso, a medicina é fundamental para garantir não só saúde, mas também qualidade de vida.

Os idosos da capital paulista contam com grandes avanços nessa área. Seja desenvolvendo tecnologias, tratamentos e medicamentos, seja importando inovações do exterior, a cidade é a sede de avanços muito importantes para quem chegou à melhor idade, tanto que a capital se tornou um polo de atendimento para pacientes vindos da África e de países vizinhos da América do Sul.

Na verdade, o próprio aumento da expectativa de vida é resultado, em grande parte, da evolução da medicina nas últimas décadas. Vacinas, medicamentos, exames de alta complexidade e técnicas cirúrgicas avançadas permitem viver por mais tempo.

“Muitas doenças que matavam por falta de tratamento, hoje, são curáveis e isso aumenta a expectativa de vida. Muitas são diagnosticadas mais cedo, o que amplia a possibilidade de cura”, afirma Maristela Negri Marrano, especialista em neurociências aplicadas à longevidade e sócia-diretora do Centro de Longevidade e Atualização de Piracicaba.

Tecnologia a favor

Nos centros médicos da capital paulista, robôs monitoram a situação dos pacientes da UTI. Novos sistemas de radiocirurgia são adotados para tratar tumores cerebrais sem a necessidade de operações.

Também são utilizados para combater doenças que assombram a terceira idade, como Alzheimer e Parkinson. Além disso, robôs são usados para realizar cirurgias mais precisas logo, com recuperação mais rápida. É o caso, em especial, de retiradas da próstata em caso de tumores.

“Nessas cirurgias, o uso de robôs melhora a qualidade do pós-operatório e reduz os riscos de o paciente sofrer incontinência urinária”, explica o superintendente médico do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Antonio Bastos Neto.

A instituição também utiliza um sistema informatizado para identificar se os remédios receitados pelo médico, somados aos que o paciente já toma no dia a dia, podem representar riscos quando ingeridos ao mesmo tempo.

O farmacêutico acessa o prontuário eletrônico, recebe a análise e libera o uso dos medicamentos.

O Oswaldo Cruz conta também com sensores nos leitos, de forma que, quando um idoso se movimenta na cama, um profissional da enfermagem é acionado, assim a ameaça de quedas diminui.

“Nossa assistência hospitalar tem o foco em reduzir riscos para melhorar a qualidade de vida”, afirma Bastos Neto.

Mudança de hábito

Com as inovações, os pacientes ganham qualidade de vida, na medida em que problemas de saúde são diagnosticados antes, tornando os tratamentos menos agressivos.

Mas nada disso dispensa outra descoberta fundamental, e bem mais antiga, da medicina: para chegar à terceira idade com qualidade de vida é importante tomar alguns cuidados ainda na juventude: “Praticar atividade física, ingerir alimentos saudáveis, abandonar o cigarro e a bebida em excesso, cultivar uma boa relação familiar e de amizade, além de manter a espiritualidade e o equilíbrio no cotidiano”, afirma Maristela Negri Marrano.

Boas notícias

Conheça algumas das mais importantes inovações disponíveis em São Paulo:

Robôs enfermeiros

Monitoram o estado de saúde dos pacientes e enviam relatórios constantes, para a equipe médica.

Acesso ao DNA

Durante a consulta, o médico pode verificar dados do genoma do paciente. Assim, evita ministrar remédios e tratamentos conflitantes com problemas já existentes.

Biomodelos

Protótipos de órgãos impressos em 3D, a partir de exames de imagem do paciente, como moldes de ossos.

Cirurgia 3D

Evolução da videocirurgia, tem incisões muito menores e facilita a recuperação de pacientes com saúde fragilizada.

Radiocirurgia

substitui a cirurgia no cérebro por tratamento com raios gama.

Implante Transcateter

Instalado na perna do paciente, não abre a região peitoral, acelerando a recuperação e a cicatrização de quem tem diabetes.

Radioablação

Injeta calor utilizando agulhas de alta precisão e diminui exponencialmente o risco de sofrer infecção hospitalar.

Tomografia Coerência Óptica

Permite detectar de forma precoce problemas oftalmológicos, como degeneração macular e glaucoma.

Data: 08/11/2018
Fonte: Revista Veja São Paulo