Hospitalar 2018: Tecnologia contribui para melhorar experiência do paciente | Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Hospitalar 2018: Tecnologia contribui para melhorar experiência do paciente

Tecnologia contribui para melhorar experiência do paciente

Preocupado em orquestrar o uso da tecnologia e oferecer a melhor experiência possível aos pacientes e seus familiares, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz vem mapeando as diferentes jornadas que eles atravessam, por meio do seu Núcleo de Experiência do Paciente. O objetivo, segundo o gerente do setor George Maeda, é desenhar e redesenhar serviços pela perspectiva do usuário da saúde. Para isso, é necessário compreender os perfis comportamentais dos pacientes e familiares e suas respectivas jornadas.

O Núcleo de Experiência do Paciente trabalha de forma horizontal na Instituição e busca propiciar um caminho equilibrado entre a eficiência operacional e a emoção vivenciada pelo usuário em todos os serviços como consultas, exames e internações.

“A tecnologia é perecível e as necessidades do paciente são perenes. Por isso, a tecnologia só faz sentido quando é integrada à jornada do paciente de forma que a torne mais fluida”, afirmou Maeda durante a palestra A Tecnologia como avatar da melhor experiência do paciente, apresentada no Health Connection -, painel dedicado a debates sobre Tecnologia de Informação e Saúde da Hospitalar 2018, que aconteceu em maio.

O profissional conta que o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo Núcleo de Experiência do Paciente, criado há pouco mais de um ano, tem atuado para detectar onde a tecnologia pode aumentar o nível de satisfação do paciente.

“Normalmente os pacientes ficam mais satisfeitos quando se sentem participantes ativos no atendimento, recebendo mais informações sobre o serviço”, afirma George Maeda, destacando que a tecnologia pode e deve ser uma aliada nesse sentido.

Avatares tecnológicos, como o agendamento online, são bons exemplos do uso da tecnologia integrada à jornada do paciente, já que melhora a interação dele com o hospital. “A ideia é usar as inovações tecnológicas para tornar nossos serviços mais acolhedores e fluidos dentro e fora do Hospital”, reforçou.

A Instituição também está estudando a segmentação comportamental do paciente, procurando antecipar de que maneira ele reage frente a determinadas situações. Além disso, o setor também está analisando de que maneira assegurar às equipes multiprofissionais uma experiência igualmente satisfatória. “Essa é a próxima fronteira que iremos cruzar. Só pode cuidar quem se cuida bem”, finaliza o gerente do núcleo.

Telemedicina na Saúde Pública

As oportunidades e desafios da telemedicina foram explorados pelo então Superintendente de Educação e Ciências do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, o Prof. Dr. Jefferson Gomes Fernandes durante a Hospitalar. Ele é coordenador de um projeto realizado em parceria com o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS) que, por meio de uma central de telemedicina, dá suporte a pacientes com acidente vascular cerebral agudo (AVC) em oito hospitais públicos espalhados pelo Brasil.

Na sua opinião, além de dar mais acesso aos sistemas de saúde, a telemedicina agiliza o atendimento, tem um custo menor e pode ser feita com segurança e qualidade. Para Dr. Jefferson, a tecnologia aproxima médicos e pacientes, facilitando diagnósticos e tratamentos, e já é uma realidade em todo o mundo.

Data: 08/06/2018