Falta de ar? Saiba quais são as doenças associadas a essa sensação

A ansiedade é um dos principais problemas que causam a falta de ar. De acordo com Siss, essa sensação se dá porque, por estar ansiosa, a pessoa acredita estar com falta de ar e, por isso, começa a hiperventilar (respiração rápida em que a pessoa exala mais ar do que inala), tendo a sensação de que o pulmão não enche e que a respiração não vai até o final.

O pneumologista Elie Siss, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, explica como o sintoma ocorre em cada caso e dá dicas para evitar o incômodo. A falta de ar é um sintoma apresentado em diversas situações.

Segundo o pneumologista Elie Siss, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, pode indicar problemas crônicos pulmonares, como a embolia ou a fibrose pulmonar, asma, insuficiência cardíaca, infarto, ou ser uma sensação que pode ser provocada pelo calor, desidratação, anemia, ansiedade ou cansaço.

Problemas como a insuficiência cardíaca causam falta de ar em quem tem o problema a qualquer esforço que a pessoa se submeta, desde caminhadas a até mesmo ficar sentado.

Para que a sensação seja resolvida, o especialista afirma que é importante que o paciente faça tratamento para o coração, junto ao seu cardiologista. Na fibrose pulmonar, a falta de ar é crônica e ocorre devido a um endurecimento do pulmão.

Por estar endurecido, a passagem de oxigênio no órgão é dificultada. A fibrose não tem cura e recebe o tratamento auxiliar com oxigênio, de maneira a facilitar a respiração.

A ansiedade é um dos principais problemas que causam a falta de ar. De acordo com Siss, essa sensação se dá porque, por estar ansiosa, a pessoa acredita estar com falta de ar e, por isso, começa a hiperventilar (respiração rápida em que a pessoa exala mais ar do que inala), tendo a sensação de que o pulmão não enche e que a respiração não vai até o final.

O pneumologista afirma que é importante, nesses casos, que a pessoa procure um lugar reservado para se acalmar, respirando profundamente, e busque atendimento médico para um diagnóstico correto.

A embolia pulmonar provoca a falta de ar por conta de um coágulo que entope a artéria pulmonar. Siss afirma que, nesses casos, o paciente deve tratar o problema com medicamentos anticoagulantes.

Quando uma pessoa sofre um infarto agudo do miocárdio, a falta de ar pode aparecer como um dos sintomas, junto da dor no peito. Nesse caso, a falta de ar ocorreria pelo entupimento da artéria coronária.

O especialista afirma que o atendimento médico deve ser procurado o mais rápido possível.

A asma é uma inflamação crônica dos brônquios pulmonares. A falta de ar provocada pela asma ocorre porque os brônquios, tubos responsáveis por levar ar ao pulmão, se fecham. A asma não tem cura, mas é tratável com broncodilatadores de longa duração.

A conhecida “bombinha” é uma medicação broncodilatadora de alívio de curta duração, com efeito entre quatro e seis horas, sendo utilizada em crises agudas.

Mas somente pode ser utilizada com recomendação médica. A anemia provoca a falsa sensação de falta de ar devido ao cansaço, gerado pela falta de hemoglobinas para transportarem o oxigênio. Siss afirma que essa falta de ar se assemelha àquela sentida após grandes esforços físicos quando não há preparo.

Segundo o médico, para que essa falta de ar passe, é necessário corrigir o quadro de anemia com auxílio médico. O pneumologista recomenda que, para evitar a falta de ar, é necessário que a pessoa se hidrate bastante, faça refeições leves e saudáveis.

Se tiver doenças pulmonares ou cardiovasculares crônicas, use a medicação corretamente e faça atividades físicas orientadas pelo médico. Ele afirma que a atividade física ajuda a envelhecer melhor, evita doenças cardiovasculares e pulmonares, além de estimular o funcionamento do pulmão e de todo o corpo.

Data: 22/01/2019
Fonte: R7.com