Leucemia

O que é?

A leucemia é um câncer que ocorre na formação das células sanguíneas, que se originam das células-tronco da medula óssea, presente nos tecidos formadores de sangue. As células sanguíneas doentes passam a se reproduzir de forma desordenada e atrapalham a produção das células sanguíneas saudáveis, diminuindo seu número normal, provocando os sinais e sintomas da doença – anemia, infecções e hemorragias.

Existem diversos tipos de leucemias, que podem ser divididas em agudas ou crônicas de acordo com a velocidade de crescimento das células doentes. A leucemia aguda progride rapidamente e produz células que não estão maduras e não conseguem realizar as funções normais. A leucemia crônica, entretanto, normalmente progride lentamente e os pacientes têm um número maior de células maduras. No geral, essas poucas células maduras conseguem realizar algumas das funções normais. Muitos pacientes leucemias crônicas não têm sintomas.

As leucemias também podem ser classificadas de acordo com o tipo de glóbulo branco que está envolvido, em mieloide ou linfoide.

Os quatro principais tipos de leucemias são:

  • Leucemia mieloide aguda (LMA);
  • Leucemia mieloide crônica (LMC);
  • Leucemia linfoide aguda (LLA);
  • Leucemia linfoide crônica (LLC).

O que causa leucemia?

A origem dessa doença ainda é desconhecida. Certos fatores podem aumentar o risco de seu desenvolvimento. Substâncias químicas, como o benzeno, formaldeídos, agrotóxicos, cigarro, exposição excessiva à radiação, além de algumas síndromes e doenças hereditárias parecem ter relação com o desenvolvimento da doença.

Sintomas

É importante ficar atento a sinais como:

  • Anemia que gera sintomas como cansaço, palidez e sonolência;
  • Febre e infecções frequentes;
  • Sangramentos;
  • Manchas roxas que aparecem na pele sem motivo.

Diagnóstico

A confirmação é feita com o mielograma, o exame da medula óssea. Em algumas situações, ainda é necessário a realização da biópsia da medula óssea, onde um fragmento ósseo da bacia é retirado e enviado para análise. Outros exames são necessários para orientação do tratamento como avaliação genética e de testes moleculares.

Tratamento

No caso da leucemia aguda o tratamento deve ser iniciado o quanto antes para combater os sintomas e evitar que a doença se agrave. Muitos casos podem ser completamente curados, com os tratamentos indicados pelo médico. No caso da leucemia crônica, a doença pode não apresentar sintomas, mas dificilmente pode ser curada, embora existam tratamentos para evitar a manifestação de sintomas ao longo da vida e para manter esse tipo de câncer controlado.

O tratamento varia muito, dependendo do tipo de leucemia que a pessoa possui e da fase em que a doença se encontra. Ela pode ser tratada com as seguintes opções: quimioterapia, imunoterapia, radioterapia, transplante de medula óssea ou a associação de diferentes tratamentos. Atualmente, existem cada vez mais novos medicamentos dirigidos para os genes alterados na leucemia, consequentemente aumentando as taxas de resposta ao tratamento ao longo dos últimos anos.