Núcleo de Coloproctologia e Intestinos

Procedimentos de diagnóstico como, por exemplo, colonoscopia, manometria e ultrassom endorretal, estão aos cuidados da Coloproctologia, especialidade médica e cirúrgica que trata das doenças do intestino grosso, do reto e do ânus. Uma das partes mais importantes do sistema digestivo, os intestinos grosso e delgado se estendem desde o final do estômago até ao ânus. Permitem a passagem dos alimentos digeridos, facilitando a absorção dos nutrientes e a eliminação dos resíduos. Os intestinos têm cerca de 7 a 9 metros de comprimento.

Assistir e aguardar é uma estratégia de manejo em pacientes com câncer retal que apresentam uma resposta clínica completa, (após quimioterapia neoadjuvante), desenvolvida pelo Hospital Alemão Oswaldo Cruz, com eficácia comprovada, através de estudos internacionais. Os resultados sugerem que a intensidade da vigilância ativa em pacientes com câncer retal pode ser reduzida se eles atingirem e mantiverem uma resposta clínica completa nos primeiros 3 anos, após o início desta abordagem de observação e espera.
Entre os mais conhecidos tumores de intestino estão o de cólon e o de reto. A partir da evolução de pólipos, alterações podem surgir. Caso esses pólipos não sejam removidos, podem se transformar em malignos. O pólipo intestinal é uma alteração causada pelo crescimento anormal da mucosa do intestino grosso (cólon e reto). É uma das condições mais comuns que afeta o intestino, ocorrendo em 15 a 20% da população.
Entre os mais conhecidos tumores de intestino estão o de cólon e o de reto. A partir da evolução de pólipos, alterações podem surgir. Caso esses pólipos não sejam removidos, podem se transformar em malignos. O pólipo intestinal é uma alteração causada pelo crescimento anormal da mucosa do intestino grosso (cólon e reto). É uma das condições mais comuns que afeta o intestino, ocorrendo em 15 a 20% da população.
A fissura anal é caracterizada por uma ferida ou rachadura na borda do ânus, que aparece em decorrência de trauma local. Os sintomas podem se apresentar em quadros agudos ou crônicos e, geralmente, consistem em dor e sangramento durante e após evacuação, além de irritação e coceira anal. As causas mais comuns da doença são: constipação ou fezes grandes e endurecidas, diarreia crônica, inserção de objetos no ânus, sexo anal, doença de Crohn, entre outros.

O abscesso anal ou perianal é uma coleção de pus que pode formar uma fístula anal (“túnel” que se abre entre o interior do canal anal e a pele, passando pelo abscesso), sendo a principal queixa, a presença constante de uma secreção purulenta na região perianal.

O abscesso anal ou perianal é uma coleção de pus que pode formar uma fístula anal (“túnel” que se abre entre o interior do canal anal e a pele, passando pelo abscesso), sendo a principal queixa, a presença constante de uma secreção purulenta na região perianal.
A colite ulcerativa normalmente ocorre apenas na mucosa interna do intestino grosso (cólon) e do reto, variando de leve a grave. A colite ulcerativa aumenta as chances de o paciente desenvolver câncer de cólon. Os sintomas incluem sangramento retal, diarreia sanguinolenta, cólicas abdominais e dor.

 

Equipe

Equipe Multiprofissional

CONHEÇA OS PROFISSIONAIS